A dengue é considerada um grave problema de saúde pública, principalmente em regiões subtropicais e tropicais. É uma doença febril aguda, causada por um dos quatro tipos do vírus Dengue (1, 2, 3 e 4), e que se manifesta desde quadros leves, sintomas clássicos, até formas graves, que podem evoluir para o óbito.

Acomete principalmente crianças pequenas (lactentes), escolares e adultos.

Como a dengue pode ser transmitida?

A transmissão ocorre pela picada da fêmea do mosquito do gênero Aedes aegypti que esteja infectada pelo vírus da dengue. Esta fêmea do mosquito permanece infectada por toda sua vida (de 6 a 8 semanas), mantendo o ciclo de infecção homem-mosquito-homem.

Quais os sintomas da dengue?

Em geral, após 4 a 10 dias da picada surge a primeira manifestação da forma clássica da doença, que é:

– Febre alta (39 a 40 °C) de início súbito, com duração de 2 a 7 dias;

– Acompanhada de dor de cabeça (cefaleia);

– Dores no corpo (mialgia) e articulações (artralgias);

– Prostração

– Fraqueza;

– Dor atrás dos olhos

– Manchas vermelhas na pele (exantema) e

– Coceira (prurido cutâneo);

– Além da diarreia, enjoos (náuseas) e vômitos.

Na criança, a fase febril inicial da doença pode ser confundida com outras doenças febris (como gripe, sarampo, rubéola, etc.), e, portanto, sempre que possível ela deve ser avaliada e acompanhada por um pediatra.

Como reconhecer a forma grave da doença?

No período de diminuição ou desaparecimento da febre, geralmente entre o 3º e 7º dia da doença, a maioria dos casos irá evoluir para a cura. No entanto, cerca de 10% dos casos podem apresentar sinais de alarme, que indicam evolução para a forma grave da doença, que são:

– dor abdominal intensa e contínua;

– vômitos persistentes;

– acúmulo de líquidos no abdômen, pulmões e coração (ascite, derrame pleural e derrame pericárdico);

– sangramento de mucosas (nariz, gengivas);

– sonolência ou irritabilidade;

– sensação de desmaio, tonturas.

O que fazer na suspeita de dengue?

Procurar o atendimento médico para a avaliação clínica, que norteará a solicitação dos exames (de sangue ou de imagem – RX de tórax, ultrassonografia) e orientação das medidas gerais, como a ingestão aumentada de líquidos (água, sucos, soro ou água de coco) e os medicamentos sintomáticos.

Na presença de sinais de alarme, procurar imediatamente atendimento em unidade de urgência e emergência, ou hospital.

Existe medicamento específico para combater ou prevenir a doença?

Não existem medicamentos específicos ou vacinas para prevenir a doença. É importante seguir as recomendações médicas, evitando a automedicação, principalmente os medicamentos à base de ácido acetil salicílico (AAS), e de outros anti-inflamatórios.

Quais as medidas de controle da dengue?

Como o período de maior transmissão coincide com o verão e o início do período de chuvas, época em que os fatores climáticos favorecem a proliferação do mosquito, as medidas de controle da doença se baseiam na redução da quantidade de mosquitos.

Para isso, é preciso manter o domicílio sempre limpo, eliminando os possíveis criadouros, ou seja, os locais que acumulam água, pois o mosquito precisa de um ambiente com água para se reproduzir.

É muito importante que cada um faça sua parte, evitando que a água fique acumulada em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Não faça uso de medicamentos sem prescrição médica, tome bastante líquido para hidratar-se, e comunique qualquer suspeita de foco da doença.

Contamos com a sua colaboração!!

 

Fonte:
Coordenação Geral do Programa Nacional de Controle da Dengue/SVS/MS.
Rede de Ações Integradas de Atenção à Saúde no Controle da Dengue/ Fiocruz.