De acordo com Organização Mundial da Saúde, cerca de 80% das deficiências visuais são evitáveis. Alguns exames são capazes de identificar precocemente possível alterações oculares, um deles é o Teste do Reflexo Vermelho, mais popularmente conhecido como teste do olhinho.

É um exame realizado no recém-nascido para rastrear alterações que podem comprometer a visão das crianças.

Quais são as alterações oculares que o teste do olhinho pode identificar?

  • Cegueira ou baixa visão
  • Retinoblastoma (câncer ocular que tem início na retina)
  • Catarata congênita
  • Glaucoma congênito
  • Leucoma (córnea com aspecto branco, geralmente desenvolve após contato com doenças infecciosas – herpes ocular)
  • Retinopatia da prematuridade
  • Descolamento de retina

O diagnóstico precoce da maioria dessas doenças, permite o tratamento apropriado a tempo de se evitar ou minimizar a deficiência visual, e, no caso do Retinoblastoma, o risco de vida da criança.

Quem faz o teste do olhinho?

Geralmente o Teste do reflexo vermelho é realizado pelo médico Pediatra na maternidade, antes da alta do recém-nascido.

Se o teste não foi realizado na maternidade deve ser feito o mais breve ainda no primeiro mês de vida com pediatra ou oftalmologista.

O Ministério da Saúde recomenda que o teste seja parte do exame neonatal e no decorrer

das consultas pediátricas de rotina, pelo menos, duas a três vezes ao ano, nos três primeiros anos de vida. Desta forma, o Teste do Reflexo Vermelho é garantido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), assim como, uma vez detectada qualquer alteração, o encaminhamento do neonato para diagnóstico e conduta em unidade especializada.

 

Referência

Sociedade Brasileira de Pediatria. Documento Científico – Grupo de Trabalho em Oftalmologia Pediátrica. Teste do reflexo vermelho. Nº 1, Setembro de 2018. < Disponível em https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/__20958d-DC_No1_set_2018-_Teste_do_reflexo_vermelho.pdf> Acesso em 06/02/2021