Temperatura Basal

0
92

Tentantes: Saiba o que é temperatura basal, pra que serve e como medir

Este método baseia-se na aferição da temperatura basal mais baixa que o corpo atinge quando a mulher está em repouso.  

Acompanhar a temperatura corporal e estar atenta às suas oscilações é uma boa técnica para as mulheres que tem o interesse em engravidar.

Para que o método funcione é necessário realizar de forma correta, sendo necessário a colaboração do parceiro, pois, no momento em que é verificado a temperatura não poderá ser feito nenhum esforço físico, inclusive relação sexual até que se tenha o dado da temperatura.

E como funciona a temperatura?

Antes de mais nada, é necessário compreender que a temperatura basal normal da mulher varia entre 36,2ºC a 36,7ºC, por isso, é necessário tê-la como base inicial para que se observe ao decorrer do mês as modificações de temperatura.

Antes da ovulação, a temperatura basal é um pouco mais baixa e isso permanece até a ovulação. Na ovulação, a temperatura sobe alguns décimos de grau e permanece assim até a chegada da próxima menstruação.

Como medir?

O método deve ser realizado a partir do primeiro dia do ciclo menstrual, ou seja, a mulher deve medir a temperatura do corpo pela manhã, antes de se levantar, e depois de dormir pelo menos cinco horas para que os valores sejam precisos. Aconselha-se anotar as temperaturas para comparação dos dias.

Cuidados importantes:

  • A verificação deve ser realizada todos os dias com o mesmo termômetro;
  • O local de aferição deve ser sempre o mesmo (os mais indicados embaixo da língua ou na axila).

Qual a temperatura basal na ovulação?

A temperatura varia de mulher para mulher, portanto, não existe um valor padrão. Geralmente durante a ovulação a temperatura tende a cair de 0,5 a 2 graus, aumenta logo após acabar a ovulação.

Fique sabendo!  Se  a temperatura basal apresentar elevado constantemente, isso pode ser um possível sinal de alteração hormonal, nestes casos é necessário avaliação de um profissional para confirmação de possíveis problemas hormonais.

 

Alô Mãe Paulistana

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here