A chupeta é o hábito oral sem finalidade nutritiva mais freqüente, utilizada por várias crianças com o objetivo de aliviar o choro de forma imediato.

É importante lembrar que o tal hábito pode trazer má-oclusão dentária de tipo e intensidade variáveis. Veja aqui os “prós” e “contras” do uso da chupeta.

A maioria das alterações causadas pela chupeta podem ser corrigidas espontaneamente, desde que o hábito seja interrompido por volta dos quatro anos de idade. Mas, os especialistas recomendam que a remoção do uso da chupeta seja feita antes mesmo dos dois anos de idade.

Vamos às dicas:

  • Em primeiro lugar, é importante observar o momento de vida da criança, tente negociar o tempo e a freqüência diária do uso da chupeta.
  • Sempre que houver capacidade de entendimento por parte da criança, deve-se explicar o motivo para a retirada do hábito.
  • Programe-se! Evite remoção abrupta, logo, existe o risco da troca da chupeta pelo dedo.
  • Muitos pais usam datas comemorativas como Páscoa e Natal para explicar o motivo para a retirada do hábito de sucção não-nutritivo.
  • Mantenha a mesma chupeta! Segundo os médicos, a criança vai perdendo o interesse porque o “gosto bom” acaba.

Leia também: Meu filho pode usar chupeta?

FONTE:

http://aps.bvs.br/aps/quais-sao-as-estrategias-para-criancas-largarem-o-bicochupeta/?post_type=aps&l=pt_BR

Corrêa MSNP, Diseenha RMS, Weffort SYK. Saúde bucal do bebê ao adolescente: guia de orientação. São Paulo: Santos; 2005