A nicotina é uma substância extremamente prejudicial à vida do recém-nascido.

O contato do bebê com a fumaça do cigarro o expõe a uma probabilidade dez vezes maior de adquirir problemas pulmonares e tem uma maior sensibilidade a infecções respiratórias, como a bronquite, renite e otite.

Quando a mãe fuma em excesso durante o aleitamento, a criança recebe nicotina através do leite, podendo provocar intoxicação onde o bebê pode apresentar sinais de agitação, vômitos, diarreia e taquicardia.

As substâncias do cigarro ficam impregnadas em roupas e mãos dos fumantes, e os resíduos que permanecem também são prejudiciais. Antes de amamentar a mãe deve trocar de roupa e realizar higiene das mãos.

Quando a criança respira diretamente a fumaça do cigarro, o sistema respiratório sofre maior dificuldade em expulsar substâncias prejudiciais, provocando o estreitamento dos brônquios, por onde passa o ar.

Os casos em que bebês apresentam dificuldades respiratórias até o primeiro ano de vida, são geralmente ocasionadas e agravadas por exposição à fumaça do cigarro, aumentando assim chances de infecções pulmonares mais graves.

Enf.ª Orientadora Kelly Santos Silva

Fonte:

http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/acoes_programas/site/home/nobrasil/programa-nacional-controle-tabagismo/criancas-adolescentes-jovens  e secretaria de da saúde de SãoPaulo. www.saude.sp.gov.br/ses/noticias/2011/julho/visitas-a-recem-nascidos-requerem-etiquetaespecial.