A Sinusite é uma infecção das cavidades nasais e dos seios da face. A sua origem pode ser viral (resfriado comum) ou bacteriana.

A Sinusite é muito comum em crianças até sete anos de idade, e pode ocorrer de seis a dez vezes no ano nessa faixa etária.

Estima-se que aproximadamente 30% das doenças infantis respiratórias possam ser atribuídas a fatores ambientais (variações bruscas de temperatura) e 40% acometem crianças com idade inferior a cinco anos, representando cerca de 10% da população mundial.

A sinusites pode ser classificada como aguda ou crônica.

Fatores que predispõe a sinusite

  • Asma
  • Bronquite
  • Variação brusca de temperatura
  • Exposição ao fumo e poluentes, entre outros.

Sinais e Sintomas

Na Sinusite aguda nos primeiros 3 dias pode ocorrer:

  • obstrução nasal
  • dor de garganta
  • espirros
  • coriza clara e falta de apetite
  • febre
  • tosse

Os sintomas podem durar por até 10 dias.

Na sinusite crônica os sintomas são os mesmos, porém variam de intensidade. Pode ocorrer dor nos seios da face (maçãs do rosco e testa). Tosse mais intensa no período da noite ao deitar e pela manhã ao se levantar. Podendo desaparecer ao longo do dia.

Na Sinusite Bacteriana desde o primeiro dia, a criança apresenta febre alta e secreção amarela ou verde abundante, ao contrário da secreção aquosa encontrada inicialmente na infecção viral.

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado através da anamnese e exame físico do pediatra, clínico geral ou especialista otorrinolaringologista.

Tratamento e Prevenção

O tratamento é realizado de acordo com o tipo de Sinusite diagnosticada, se viral, crônica ou bacteriana.

Em crianças com sinusite aguda e com rinite alérgica concomitante, a irrigação nasal com soro fisiológico, melhora significativamente a coriza, a congestão nasal, a coceira na garganta, a qualidade do sono, e o fluxo de ar nasal.

Entre os benefícios da lavagem nasal com soro fisiológico, são efeitos locais, como diminuição da viscosidade das secreções nasais, diminuição do inchaço da mucosa nasal, e remoção de bactérias, alergenos causadores de inflamação, devido a ação mecânica da “lavagem” pela irrigação salina.

 

Referências

SANTOS, DAS et.al. A relação das variáveis climáticas na prevalência de infecção respiratória aguda em crianças menores de dois anos em Rondonópolis-MT, Brasil. Ciênc. saúde colet. 22 (11) Nov 2017 <Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232017021103711&lng=pt&tlng=pt> Acesso em 21/11/2020.

Sociedade Brasileira de Pediatria. Rinossinusite na infância. < Disponível https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/doencas/rinossinusite-na-infancia/> Acesso em 21/11/2020.

BVS Atenção Primária em Saúde. Deve-se recomendar o uso de irrigação nasal com soro para tratamento da rinossinusite?. Núcleo de Telessaúde Espírito Santo | 21 mar 2017 < Disponível em https://aps.bvs.br/aps/deve-se-recomendar-o-uso-de-irrigacao-nasal-com-soro-para-tratamento-da-rinossinusite/> Acesso em 21/11/2020.

Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial. Rinossinusites: evidências e experiências. Braz J Otorhinolaryngol. 2015; 81(1 Supl. 1):S1-S49 < Disponível em https://www.aborlccf.org.br/imageBank/CONSENSO-RINOSSINUSITES-EVIDENCIAS-E-EXPERIENCIAS.PDF> Acesso em 21/11/2020.