Nas consultas de pré-natal após as 35 semanas as gestantes devem ser orientadas sobre cuidados necessários no final da gestação quanto aos sinais e sintomas de trabalho de parto e sinais e sintomas de alerta.

Importante salientar que no final da gestação há possíveis sinais e sintomas que precedem o processo de parto que apresenta como característica queda do ventre devido a adaptação da cabeça do feto na pelve materna, contrações uterinas irregulares e eliminação do “tampão mucoso” que caracterizado por uma secreção gelatinosa, tipo clara de ovo, que pode ou não apresentar pequena quantidade de sangue. Caso um desses sinais apareçam a gestante não necessariamente deve ir para o hospital.

São considerados sinais e sintomas de trabalho de parto contrações dolorosas e regulares, eventual perda de líquido amniótico e secreção amarelada com presença de sangue em pequena quantidade, esses sintomas podem caracterizar o início do trabalho de parto.

O trabalho de parto pode ser dividido em 2 fases fase inicial e lenta do trabalho de parto, Contrações irregulares de intensidade fraca com duração de 15 ou 20 segundos com intervalos de 10 à 15 minutos, dilatação cervical de 3 cm. Fase ativa com período de dilatação rápida, Contrações mais intensas com duração de 30 a 45 segundos com intervalos regulares e dilatação cervical maior que 1,2 cm/hora nas primíparas e 1,5 cm/hora nas multíparas.

No período da fase inicial do trabalho de parto é frequente devido a falta de orientação, isso ocasiona mais ansiedade e angústia para gestante, então deve ser bem compreendido pela gestante as diferenças das contrações do período latente e do período ativo, contrações fracas e com intervalos irregulares são de início de trabalho de parto e contrações fortes e com períodos regulares são da fase de trabalho de parto ativa. Portanto a frequência e a intensidade das contrações são parâmetros para indicar a fase do trabalho de parto.

A perda de líquido também é extremamente importante e pode ser confundida com perda involuntária de urina, então deve se atentar ao odor e a coloração do líquido, a perda do líquido amniótico pode causado pela ruptura da bolsa que pode ocasionar infecção para o bebê. A perda de líquido esverdeado pode significar presença de mecônio, portanto a gestante deve se dirigir imediatamente para o hospital para avaliação da vitalidade do bebê.

Enfermeira Orientadora Paloma Martina Rodrigues Barboza. Especialização em Ginecologia, Obstetrícia e Cuidados em Pré-Natal.

 

Fonte:

Ministério da Saúde. Biblioteca virtual em saúde do Ministério da Saúde. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cd04_11.pdf