As crianças quando sentam no chão podem ter diversas posturas. Uma delas é sentar em “W”, ou seja, quando sentam no chão para brincar, pois gera equilíbrio e conforto quando comparada com outras posturas.

Por que as crianças gostam de ficar nesta posição?

Quando a criança nasce ela possui uma anteversão femoral (fêmur angulado para frente) aumentada e, portanto, ela sente-se mais confortável nesta posição.

Claro que, as posições que a criança costuma ter, quando estas são alternadas, contribuem para a descoberta dos limites do corpo e é benéfica para o seu desenvolvimento. Porém, pode gerar alterações ortopédicas caso se torne um hábito comum.

Quando a criança está sentada em “W”, os quadris podem sofrer luxação e podem ocorrer problemas ortopédicos futuros. Também pode afetar o desenvolvimento ósseo, influenciando em toda a sua estrutura.

Além disso, a criança adquire um grande aumento da base de sustentação quando comparada com outras posturas sentadas, estabilizando a mesma e trazendo menor necessidade de ajustes posturais, e menos trabalho para manter o equilíbrio.

É importante que a criança aprenda a desenvolver reações posturais e que tenha força o suficiente nos músculos do tronco, e também para manter-se em pé. E o “W” é tão estável que não permite à criança exercitar seu equilíbrio, também limita as rotações de tronco e as transferências de peso laterais como aquelas que realizamos para alcançar um objeto, e com o passar do tempo isso pode trazer malefícios à saúde do seu filho.

Consequentemente, ocorre um atraso no controle de tronco e equilíbrio devido ao não uso frequente. Inclusive, afeta o desenvolvimento da dominação manual, pois a criança tende a usar a mão direita no lado direito do corpo e a mão esquerda no lado esquerdo do corpo, dificultando a dinâmica entre os membros.

Meu filho sentar, e agora?

Procure auxiliar a criança a modificar a posição com suas próprias mãos, ou guie-a para ter outra postura e conversando com ela, explicando a importância de mudar de posição, e evitar acidentes ou machucados.

Fonte:

PORTA, D, M; ZIMMER, V, K; CRIPPA, L, B. Os malefícios que as más posturas na infância podem trazer para o futuro do ser humano. São Paulo, 2017.