A rinite alérgica é decorrente de uma reação inflamatória na mucosa, geralmente causada por uma reação alérgica. Sendo responsável por afetar todas as vias aéreas, e não somente ao nariz. A maior causa são em crianças e está associado com outras doenças, como asma, sinusites, otites e pólipo nasal.

Os sintomas da rinite alérgica são os espirros com frequência, coriza aquosa, obstrução nasal e prurido ou coceira.

O surgimento geralmente é após exposição aos alérgenos (poeira, ácaros, baratas, fungos, caspas de animais como cão e gato, pólens), aos poluentes ambientais (como fumaça de cigarro), e em mudanças de temperatura. Infecções virais também podem desencadear ou agravar crises alérgicas.

A rinite alérgica não tem cura, mas pode ser muito bem controlada com o uso de medicamentos e medidas de higiene adequada.

O tratamento é feito com medicações que controlam a inflamação da mucosa nasal por longos períodos. O mais importante, porém, é controlar o ambiente, afastando os alérgenos que prejudicam a criança.

A imunoterapia (tratamento com vacinas) também pode ser uma opção. Porém, somente o especialista pode dar a orientação adequada.

Como evitar as crises?

Geralmente as crises surgem após o contato com poeira, bichinhos de pelúcia, mofo, ácaros e demais objetos.

As medidas mais recomendadas pelos especialistas são:

  • Manter sempre a casa arejada;
  • Evitar umidades ou vazamentos, portanto não deve usar umidificadores de ar em excesso;
  • Evitar carpetes e tapetes, especialmente no quarto;
  • Evitar objetos que acumulem pó;
  • Manter cuidados com  bichos de pelúcia,de preferência guardados no período da crise.
  • Realizar a troca de lençóis com frequência e  aspirar os colchões semanalmente;
  • Evitar cobertores de lã, deve lavá-los com frequência;
  • Animais de estimação, devem ser mantidos fora de casa e principalmente fora do quarto.

Outros fatores como o cigarro, a poluição, os odores fortes e produtos químicos funcionam como irritantes, devem ser evitados.

Sempre procure por avaliação médica e nunca ofereça  medicamentos sem a orientação médica. A automedicação pode trazer sérios agravos à saúde.  

Conheça também: Asma infantil