A gestação é um momento muito especial na vida da mulher e requer o acompanhamento constante e adequado.

Em cada trimestre ocorrem modificações naturais da gestação, mas também sinais e sintomas de anormalidades. E é através do pré-natal que é possível o encaminhamento para acompanhamento de alto risco em tempo oportuno.

A mulher grávida deve iniciar o pré-natal na Atenção Primária à Saúde assim que descobrir ou suspeitar que está grávida, preferencialmente até a 12ª semana de gestação.

O acompanhamento periódico e contínuo de todas as gestantes tem o objetivo de garantir seu seguimento durante toda a gestação, em intervalos preestabelecidos.

Abaixo um exemplo de rotina de consultas para uma gestação de baixo risco:

· Consultas mensais – do início até 28ª semana.

· Consultas quinzenais – da 28ª até a 36ª semana.

· Consultas semanais – da 37ª até o nascimento.

No final a gestante deverá ter realizado, no mínimo, 6 (seis) consultas, e o acompanhamento pode ser intercalado entre médico e enfermeiro.

Além das consultas nas unidades de saúde, faz parte do acompanhamento do pré-natal a visita domiciliar se necessário, a participação de reuniões comunitárias (grupos de gestante). Desse modo é garantido o seu encaminhamento ao centro obstétrico, assim como para a consulta na unidade de saúde após o parto.

Referência

https://saude.gov.br/saude-de-a-z/gravidez

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Cadernos de Atenção Básica. ATENÇÃO AO PRÉ-NATAL DE BAIXO RISCO. Série A. Normas e Manuais Técnicos, n° 32. Brasília – DF 2012.