É uma lesão na região do cotovelo que ocorre exclusivamente em crianças, geralmente menor de cinco anos de idade. Essa subluxação (ossos em uma articulação ficam fora do local ou desalinhados) ocorre devido os ligamentos e cartilagens que ainda estão em formação, apresentando grande elasticidade e frouxidão.

Como acontece?

A maior ocorrência é quando a criança é puxada pela mão ou pelo antebraço; por exemplo, quando o pai ou mãe ao brincar eleva o membro superior de forma rápida para cima. Outro exemplo, é quando a criança sai correndo e alguém a puxa pelos braços.

Como perceber se meu filho sofreu a lesão?

Geralmente, ocorre um estalo e a criança começa a chorar imediatamente com a reação de proteção com o braço (imobiliza o braço em direção ao corpo). Em longo prazo, a criança pode reclamar de dor na região do cotovelo, ombro e punho.

Normalmente, os pais notam que, se oferecerem um brinquedo à criança, ela utiliza sempre o outro braço e, quando tentam examinar o braço afetado, esta chora.

Como é feito o diagnóstico?

A avaliação médica é de extrema importância.Portanto, deve levar a criança para o hospital o mais rápido possível. Geralmente o diagnóstico é através avaliação clínica, ou seja, através do exame físico da criança e do relato fornecida pelos pais. Dificilmente é necessário exame complementar, como uma radiografia para levantamento do diagnóstico.

E o tratamento?

O tratamento consiste em realização de manobra feita por um médico. Não é preciso anestesia ou sedação, embora cause dor, o procedimento é realizado de forma rápida. É realizada uma manipulação específica no membro afetado, que devolve as estruturas à sua posição normal. Dificilmente é necessário imobilizar o braço, apenas manter repouso por algumas horas.

Como prevenir a lesão?

Como já abordado anteriormente, DEVE evitar puxar os braços da criança de forma brusca, principalmente se esta já tem história de pronação dolorosa.

Alô Mãe Paulistana