No Brasil, o uso de plantas medicinais tem alta taxa de comercialização e consumo. No entanto, há poucos estudos que fale sobre o uso de plantas medicinais durante o período gestacional.

A maioria das publicações relacionadas ao tema, informa que as gestantes têm uma série de restrições. Afinal, muitos desses possuem substâncias fortes que podem ser prejudiciais à mãe e ao bebê.

Abaixo listamos os chás mais usuais no dia a dia e os seus malefícios  e benefícios. Veja:

SEM RESTRIÇÃO: podem ser consumidos o chá de camomila, erva-doce, erva-cidreira e de frutas vermelhas. Estes tipos de chás não exercem nenhum tipo de ação no útero ou no bebê. Portanto, aproveite-os mais sem excessos.

EVITAR: Chás de cravo, chá preto, chá mate, canela, arruda, boldo, gengibre, buchinha do norte, pinhão, melão de são caetano e outros: estes podem levar às contrações uterinas e como consequência  um aborto ou a um parto prematuro. 

Não há estudos definitivos sobre o consumo dos chás verde e branco na gestação. Na dúvida, evite-os.

Existem outros fatores que avaliam se a gestante pode ou DEVE evitar, como por exemplo, idade gestacional, problema de saúde e outros. Portanto, converse com o médico responsável pelo pré-natal sobre.

Leia também: Picamalácia na Gravidez 

Alô Mãe Paulistana