O que é?

A anticoncepção de emergência (AE), também conhecida como “pílula do dia seguinte”, é um método contraceptivo que pode evitar a gravidez, sendo utilizada depois da relação sexual. É formada por compostos hormonais que atuam na suspensão da ovulação e impedem a migração dos espermatozoides, e é indicada apenas em situações excepcionais.

Indicação

  • Falha no uso rotineiro do anticoncepcional (esquecimento do uso da pílula).
  • Não uso do anticoncepcional ou preservativo.
  • Rompimento do preservativo ou deslocamento do diafragma.
  • Violência sexual.

Contraindicação

O anticoncepcional de emergência não deve ser usado de forma planejada, previamente programado, ou substituir método anticonceptivo como rotina, pois o seu uso rotineiro pode aumentar a sua taxa de falha ao longo do tempo, diferente do anticoncepcional de rotina.

Não deve ser usado em caso de Gravidez.

Em que momento usar o Anticoncepcional de Emergência?

O anticoncepcional de emergência deve ser administrado o mais rápido possível, até 120 horas (5 dias) após a relação sexual desprotegida, porém, sua eficácia é maior quanto antes for utilizada.

Efeitos Adversos

  • Náuseas
  • Vômitos
  • Cefaleia, dor nas mamas e vertigens, porém cessam espontaneamente após 24hs do uso do anticoncepcional de emergência.

Possíveis complicações

Algumas mulheres podem apresentar oscilações do próximo ciclo menstrual. Pode ocorrer o atraso menstrual de 7 dias ou mais, ou até mesmo antecipação do sangramento menstrual.

 

Referências

Borges, A.L.V, Gonçalves, R.R.S, Chofakian, C.B.N, Nascimento, N.C, Figueiredo, R.M.M.D, Fujimori, E., Santos, O.A, Do Amor Divino, E. Uso da anticoncepção de emergência entre mulheres usuárias de Unidades Básicas de Saúde em três capitais Brasileiras Cien Saude Colet [periódico na internet] (2020/Jan). [Citado em 14/11/2020]. Está disponível em: http://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/uso-da-anticoncepcao-de-emergencia-entre-mulheres-usuarias-de-unidades-basicas-de-saude-em-tres-capitais-brasileiras/17487?id=17487

Ferreira JB, Costa APV, Chagas ACF. A prática do uso da anticoncepção de emergência em jovens universitárias de uma instituição privada de Campo Grande –MS. São Paulo: Revista Recien. 2018; 8(22):3-13 < Disponível em https://recien.com.br/index.php/Recien/article/view/243> Acesso em 14/11/2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. ANTICONCEPÇÃO DE EMERGÊNCIA. PERGUNTAS E RESPOSTAS PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE. Brasília, 2011.