A pílula anticoncepcional é um método hormonal. São feitas a partir de hormônios sintéticos semelhantes aos hormônios que a mulher produz nos ovários, estrogênio e progesterona.

São muito eficazes quando utilizados da forma correta.

A principal função da pílula anticoncepcional é prevenir uma gestação, impedindo a ovulação e dificultando a passagem dos espermatozóides para o interior do útero.

Existem 2 tipos de pílulas anticoncepcional:

  • Pílula Combinada: é composta pelos hormônios estrogênio e progesterona, essa é a pílula convencional. Pode ser usada por qualquer mulher em idade reprodutiva desde que não haja contraindicação médica. Deve ser iniciada no primeiro dia de sangramento menstrual.
  • Mini pílula: é composta por único hormônio, a progesterona. Essa é o tipo de pílula que é mais recomendado para mulheres no pós-parto, para que não haja interferência na qualidade e quantidade do leite materno. Nesse caso, o seu uso deve ser iniciado seis semanas após o parto.

Seja pílula combinada ou mini pílula. O anticoncepcional deve ser tomado todos os dias, de preferência no mesmo horário. Desse modo conseguirá garantir sua efetividade.

Cuidados com uso do anticoncepcional

  • A mulher deve informar o uso da pílula sempre que for a qualquer consulta, mesmo que isso não lhe seja perguntado.
  • Vale lembrar que medicações como antibióticos podem reduzir o efeito do anticoncepcional, nesse caso, use um método de barreira (preservativo).
  • Se esquecer de tomar um dia ou houver atraso em mais de 12hs do horário habitual, utilizar um método de barreira (preservativo) em conjunto com a pílula.
  • Se houver reações indesejáveis como: enjôos, vômitos, sangramento ou manchas de sangue entre as menstruações, ausência de menstruação, aumento de peso, dor de cabeça leve, tontura, dor nas mamas, mudanças de humor, por mais de 3 meses de uso da pílula procure avaliação médica.

 

Referências

Ribeiro CCM, Shimo AKK, Lopes MHBM, Lamas JLT. Efeitos dos diferentes anticoncepcionais hormonais nos valores de pressão arterial da mulher. Rev Bras Enferm [Internet].2018; 71(suppl 3):1537-43.

Ministério da Saúde. Direitos Sexuais, direitos reprodutivos e métodos anticoncepcionais. Caderno nº2. Brasília, 2010.