A vontade de comer terra (geofagia) ou outras coisas estranhas ou esquisitas durante os noves meses gestacionais é conhecida como picamalácia ou pica.

O que é picamalácia?

Picamalácia é um transtorno alimentar na gestação, causada pela ingestão persistente de substâncias inadequadas com pequeno ou nenhum valor nutricional, ou de substâncias comestíveis, mas não na sua forma habitual. Este desejo na gravidez não é normal, mas pode ocorrer sem maiores explicações para sua ocorrência.

Quais os desejo mais comuns entre as gestantes:

  • Terra (geofagia);
  • Cinzas;
  • Palitos de fósforo queimados;
  • Pedra e cascalho;
  • Bolinhas de naftalina;
  • Tinta;
  • Toalha de papel, entre outros.
  • Sabonete;
  • Plástico;
  • Borra de café;
  • Cabelo;
  • Giz;
  • Carvão vegetal;

O transtorno alimentar, também pode estar associada ao estresse durante a gravidez, principalmente no 1º trimestre gestacional, quando existe maior controle da alimentação, o que causaria ansiedade associada à irritabilidade.

Como é feito o diagnóstico?

  • Pela Ingestão persistente de substâncias não nutritivas por um período de pelo menos 1 mês;
  • Pela Ingestão de substâncias não nutritivas inapropriada para o nível de desenvolvimento;
  • Através do comportamento alimentar que não faz parte da cultura praticada;
  • E pelo comportamento alimentar que ocorre exclusivamente durante o curso de um transtorno mental.

O desejo pode estar associada à carências nutricionais, principalmente de ferro (anemia ferropriva) e zinco, à constipação, à distensão, à obstrução intestinal.

Alguns estudos apontam que a ocorrência do transtorno em gestantes com menor ingestão carboidratos, proteína animal, ferro e zinco, quando comparadas a gestantes sem picamalácia.

É importante saber que algumas substâncias inadequada na gestação pode ocasionar:

  • Baixo peso no bebê;
  • Infecções;
  • Problemas no estômago e nos intestinos materno;
  • Risco de parto prematuro;
  • Aumento da taxa de mortalidade no caso de ingestão de substâncias altamente tóxicas;

Infelizmente, muitas mulheres se sentem envergonhadas pelo ato. Contudo, o diagnóstico, o aconselhamento e o tratamento imediato são fundamentais para a saúde da mamãe e da criança.

Não tenha vergonha, converse com o médico responsável pelo pré- natal e veja a melhor forma de tratamento.

Fonte: Saunders, Claúdia et al. Picamalácia: epidemiologia e associação com complicações da gravidez. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v31n9/a04v31n9.pdf. Acessso em: 28/02/2019.