A pediculose, popularmente conhecida como infestações de piolhos, é uma doença parasitária contagiosa que pode surgir em algumas partes do corpo, tais como: cabelo, cílios, sobrancelhas, região dos pelos pubianos e outros.

Como identifica-lo?

São insetos pequenos, chatos, sem asas, que vivem no couro cabeludo e sugam o sangue humano.  A ocorrência é maior em crianças em idade escolar, com maior incidência em meninas, mas podem abranger qualquer sexo e idade.

Os principais sintomas dão-se pela: Intensa coceira no couro cabeludo e por pequenas machas vermelhas, pela consequência da picada do inseto.

E as lêndeas?

As lêndeas consistem nos ovos do piolho depositados pelas fêmeas, próximo à região do cabeludo. 

E as formas de transmissão?

A transmissão ocorre de maneira semelhante às causas, tipo:

Contato com uma pessoa que possua piolhos, como colegas de escola;

A pediculose, popularmente conhecida como infestações de piolhos, é uma doença parasitária contagiosa que pode surgir em algumas partes do corpo, tais como: cabelo, cílios, sobrancelhas, região dos pelos pubianos e outros.

Como identifica-lo?

São insetos pequenos, chatos, sem asas, que vivem no couro cabeludo e sugam o sangue humano.  A ocorrência é maior em crianças em idade escolar, com maior incidência em meninas, mas podem abranger qualquer sexo e idade.

Os principais sintomas dão-se pela: Intensa coceira no couro cabeludo e por pequenas machas vermelhas, pela consequência da picada do inseto.

E as lêndeas?

As lêndeas consistem nos ovos do piolho depositados pelas fêmeas, próximo à região do cabeludo.

E as formas de transmissão?

A transmissão ocorre de maneira semelhante às causas, tipo:

  • Contato com uma pessoa que possua piolhos, como colegas de escola;
  • Compartilhamento de objetos de uso capilar como: Bonés, escovas, tiaras, entre outros;
  • Através de roupas de cama infestadas.

Qual é o tratamento?

Geralmente é à base de xampus e loções inseticidas, parte adquiridos direto na farmácia. Contudo, caso o problema persista, ou seja, mais grave, consulte um médico.

Todas as pessoas envolvidas  com a criança devem ser tratadas ao mesmo tempo caso tenha necessidade( mesmo sem sintomas). Assim, prevenirá quadro de  reinfestação.

Para prevenir a pediculose, o ideal é evitar o compartilhamento de roupas, toalhas, acessórios de cabelo e outros objetos de uso pessoal, bem como evitar o contato direto cabeça com cabeça ou cabelo com cabelo de pacientes infestados.

Conheça também: Amigdalite

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia. Pediculose. Disponível em: http://www.sbd.org.br/dermatologia/cabelo/doencas-e-problemas/pediculose-piolho/16/. Acesso em: 10/01/2019.