O parto por cesariana é o parto cirúrgico do bebê realizado através de uma incisão feita no abdômen e no útero materno.

Os médicos usam um parto por cesariana quando acreditam que é mais seguro do que o parto normal para a mulher, o bebê ou ambos, como nas seguintes situações: · Quando o trabalho de parto estiver progredindo muito lentamente · O feto está em uma posição anormal, como apresentação pélvica (nádegas primeiro)

  • A frequência cardíaca do feto é anormal, indicando sofrimento
  • Quando o sangramento vaginal for excessivo, sugerindo que a placenta pode estar se separando do útero precocemente (ruptura prematura da placenta)
  • Quando a mulher realizou mais de um parto por cesariana antes (em geral)

Antigamente, depois de uma mulher realizar uma cesariana, os médicos recomendavam parto por cesariana para todas as gestações seguintes. A preocupação era que a cicatriz da incisão no útero pudesse se abrir (ruptura uterina) durante o trabalho de parto. Porém, os médicos agora percebem que o risco de ruptura é baixo após um parto por cesariana se a incisão for horizontal e tiver sido feita na parte inferior do útero. Assim, se a mulher tiver feito apenas uma cesariana antes e a incisão for horizontal e tiver sido feita na parte inferior do útero, ela pode escolher realizar um parto normal, um procedimento denominado parto normal após cesárea (PNAC). Porém, depois de uma mulher realizar mais de uma cesariana, a maioria dos médicos recomenda fazer parto por cesariana em todas as gestações seguintes. A mulher deve discutir os riscos com o médico antes de decidir se irá tentar um PNAC. Muitas instituições de saúde utilizam listas de verificação para garantir que a mulher e o bebê são bons candidatos para realizar um PNAC seguro e bem-sucedido.

Se a mulher escolher parto normal depois de ter realizado um parto por cesariana anteriormente, ela deve planejar ter o bebê em um local equipado para rapidamente realizar uma cesariana, pois

  • O parto normal é bem-sucedido apenas em aproximadamente 60% a 80% das mulheres que realizaram um parto por cesariana antes.
  • Há um risco muito pequeno de ruptura do útero.

Um obstetra, um anestesista, enfermeiros e, por vezes, um pediatra estão envolvidos nesse procedimento cirúrgico. O uso de anestésicos, medicamentos intravenosos, antibióticos e transfusões de sangue ajuda a tornar a cesariana um procedimento seguro.

Os partos por cesariana são mais dolorosos na fase posterior, exigem uma internação mais prolongada no hospital, com um tempo de recuperação mais longo que o parto normal.

 

Fonte

Manuais MSD https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/problemas-de-sa%C3%BAde-feminina/complica%C3%A7%C3%B5es-do-trabalho-de-parto-e-do-parto/parto-por-cesariana