Uma única vacina é capaz de proteger mãe e bebê contra três doenças graves. Esta é a dTpa, ou tríplice bacteriana acelular do tipo adulto, que imuniza contra difteria, tétano e coqueluche.

A vacina tríplice bacteriana acelular do adulto (dTpa) é indicada para ser tomada na gravidez porque estimula o organismo da mulher a produzir anticorpos, que depois passam para o bebê através da placenta. A vacina é fornecida pelo sistema único de saúde, é gratuita, e precisa ser repetida a cada gravidez.

Toda gestante deve tomá-la a partir da vigésima semana, preferencialmente entre a 27ª e a 32ª semanas, e isso deve se repetir em todas as gestações que a mulher tiver.


Para receber a dTpa, a grávida não precisa de prescrição médica. Basta procurar uma das 36 mil salas de vacinação espalhadas pelo Brasil, apresentar a caderneta de vacina  e se vacinar gratuitamente. A partir da 20ª semana, quanto mais precoce a gestante tomar a vacina, mais ela tem chance de criar uma maior quantidade de anticorpos.

Contra quais doenças a vacina dTpa protege a mãe e a criança?

– A coqueluche, que é uma doença muito grave em bebês, em especial naqueles com até 3 meses de vida. Ela é causada pela bactéria Bordetella pertussis, que provoca um quadro inflamatório nas vias respiratórias e, em situações extremas, pode ocasionar a morte por insuficiência respiratória. A coqueluche era uma doença que vinha sendo reduzida a cada década, mas voltou a aparecer nos últimos anos.

– O tétano também pode ser muito grave, tanto nas mães quanto nos bebês que acabaram de nascer. A bactéria causadora produz uma toxina que paralisa os músculos, inclusive os da respiração, levando à morte.

– A difteria é uma doença bacteriana que, em casos extremos, pode provocar um edema no pescoço, levando à asfixia, um risco para recém-nascidos.

Existe algum risco tomar a vacina na gestação?

Não. A vacina é feita de toxina inativa e não da própria bactéria causadora da doença. Por isso existe o “a” na sigla dTpa, de acelular. 


E os efeitos colaterais?
No geral, não há efeitos colaterais. Mas, pode causar algumas reações, tais como:

  • Sensibilidade;
  • Inchaço, que devem melhorar após 24 horas.
  • Vermelhidão no local da aplicação;
  • Dor local.

Outros possíveis efeitos colaterais são febre, sonolência nas primeiras horas e irritabilidade. Se estes sintomas persistirem por mais de 3 dias, deve procurar por avaliação médica.

Fique atento! Além da Dtpa, é recomendado às gestantes a imunização contra Influenza e Hepatite B.

Fonte:

Ministério da saúde. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/marco/03/Novo-calendario-vacinal-de-2017.pdf. Acesso em: 21/12/2018.

Ministério da Saúde. A importância da vacina dTpa para a mãe e o bebê. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53804-a-importancia-da-vacina-dtpa-para-a-mae-e-o-bebe. Acesso no dia 19/03/2019.