A gravidez é um evento resultante da fecundação do ovulo (ovócito) pelo espermatozoide. Visto como um momento de grandes transformações para a mulher, para seu (sua) parceiro (a) e para toda a família.

Na maioria das vezes os sintomas da gravidez só começam a aparecer quando o óvulo fertilizado se implanta na parede uterina, dias depois de a fertilização já ter acontecido.

Abaixo citaremos os principais sintomas. O atraso menstrual é geralmente o sinal que mais chama a atenção da mulher para a possibilidade de uma gravidez. Alem disso, pode-se perceber os seguintes sinais e sintomas: Aumento dos seios;

Enjoos – Normalmente estão relacionados às alterações de olfato e paladar, que ficam mais sensíveis durante a gestação. Entretanto, o enjoo pode variar de acordo com a mulher. Algumas podem ficar com essa sensação logo no início da gravidez, enquanto outras só após o terceiro mês. O enjoo pode aparecer em qualquer hora do dia e piora quando a mulher está de estômago vazio. Por isso, é fundamental uma alimentação saudável e em intervalos curtos.

Cólicas – As cólicas gestacionais costumam aparecer porque o útero está se adaptando para abrigar o embrião.

Dores de cabeça, tonturas e desmaios – Muitas mulheres tendem a sentir tontura, dor de cabeça e algumas até desmaiam. Isso acontece porque o fluxo sanguíneo passa a ser mais intenso no período da gestação. A pressão sanguínea da mulher pode cair bruscamente durante a gravidez, mas estes sintomas não são frequentes.

Seios inchados e doloridos – É normal os seios ficarem bem doloridos no começo da gestação. Os mamilos também podem ficar mais sensíveis. Porém, esse sintoma costuma passar quando o organismo se acostuma aos novos níveis hormonais.

Urinar várias vezes – É um sintoma comum devido à atuação dos hormônios durante a gravidez e também à pressão que o útero faz sobre a bexiga quando começa a ficar maior.

Cãibras – As cãibras acontecem porque, durante a gravidez, ocorre uma queda da quantidade de cálcio no organismo. Cãibras na região da coxa, nos pés e na batata da perna são as mais comuns.

Sonolência e cansaço – Com frequência, esses sintomas estão ligados a problemas emocionais, estresse, preocupação e ansiedade. O ideal é que a mulher durma pelo menos oito horas por noite. Já a falta de sono no final da gravidez é causada pelo peso da barriga e do seu próprio corpo. Evite o excesso de atividade, mas mantenha o hábito de fazer os exercícios de relaxamento.

Varizes – Acontece principalmente devido aos inchaços e aumento da circulação durante a gestação. Normalmente, ao fim da gravidez, a cabeça do bebê pode pressionar as veias pélvicas, o que causa o acúmulo de sangue nas veias das pernas, que terão maior dificuldade em realizar esse retorno venoso, deixando-as inchadas e doloridas.

Acidez estomacal (azia) – A acidez tende a aumentar, porque a válvula do estômago se relaxa durante a gravidez, deixando o ácido próprio do estômago voltar e subir, dando a sensação de queimação constante. Evitar alimentos pesados, principalmente frituras e refrigerantes, pode ajudar a minimizar os sintomas.

É importante saber! O Ministério da Saúde, por intermédio da Estratégia Rede Cegonha, incluiu o Teste Rápido de Gravidez nos exames de rotina do pré-natal, que pode ser realizado na própria Unidade Básica de Saúde (UBS), o que acelera o processo necessário para a confirmação da gravidez e o início do pré-natal.

Fonte:

Ministério da Saúde. Portal. Disponível em:
http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/gravidez . Acesso em 29/03/2019.

Ministério da Saúde. Blog da Saúde. Saiba quais são os principais sintomas da gravidez. Disponível em:
http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/33503-saiba-quais-sao-os-principais-sintomas-da-gravidez . Acesso em 29/03/2019.