“A amamentação, isto é, dar o peito, é a primeira e mais importante ação no combate à fome, às doenças e à desnutrição, e no fortalecimento do vínculo fundamental entre mãe e filho. Com a participação da família e da comunidade, a amamentação promove o desenvolvimento infantil adequado”.

A criança deve se alimentar, crescer, engordar, prosperar.

As pessoas tanto sabem disto que é no meio da maior ansiedade que o bebê é posto ao seio.

A grande preocupação consiste em saber se a mãe tem leite; os telefonemas e os “palpites” se renovam, e antes de qualquer esclarecimento asseguramos “que a mãe tem sempre leite para o filho que gerou”.

Pode ser que a secreção demore a vir, e quando vier que dure pouco, mas sempre existe.

O nervosismo é tal e a aflição de saber se tem leite é tão grande que a mãe acaba por se prejudicar. A glândula mamária é extremamente sensível às variações do sistema nervoso.

Antes de tudo haja com serenidade e confiança, pois natureza não erra, o leite virá .

Assim como podemos assegurar que a mãe terá leite, podemos também garantir que seu filhinho não morrerá de fome se o mesmo demorar.

A secreção do leite é desencadeada por um hormônio chamado prolactina que é estimulado pela sucção; para que as glândulas mamárias funcionem é necessário que a criança sugue.

O leite materno no início tem aspecto especial, chamado de colostro, de cor amarelada, espesso, de grande valor alimentar; pequenas quantidades satisfazem o bebê.

O colostro é o alimento de transição entre o sangue que alimentou o feto dentro do útero materno e o leite que vai alimentá-lo nos primeiros dias de vida.

O leite materno é o mais indicado para a alimentação de seu filho e pode suprir todas as suas necessidades até o sexto mês de vida, diminuindo consideravelmente os riscos de infecção (principalmente intestinais).

Fontes:

REFERÊNCIA: BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde da criança: nutrição infantil, aleitamento materno e nutrição complementar. Brasília: Ministério da Saúde, 2009. (Cadernos de Atenção Básica, n. 23) (Série A. Normas e Manuais Técnicos)

Promovendo o aleitamento materno. 2ª. ed. Brasília: UNICEF/Ministério da Saúde, 2007.