A BCG é a vacina contra TUBERCULOSE (uma doença infectocontagiosa causada pelo Mycobacterium bovis ou pelo Bacilo de Koch. A tuberculose ataca mais comumente os pulmões, mas pode também causar infecções nos ossos, rins e meninges (as membranas que envolvem o cérebro).

 A vacina é aplicada via intradérmica (essa via de aplicação é usada em pequenos volumes, superficial a pele, com uma agulha bem fina).

Quem deve tomar essa vacina?

Pessoas com qualquer idade podem ser vacinadas. A aplicação dessa vacina é obrigatória para todas as crianças. Indicada acima de 2kg. Sua aplicação é realizada logo após o nascimento, se caso e isso não for possível, deve ser ministrada após no máximo o primeiro mês de vida.

Em locais com alta prevalência da doença será administrada também em crianças de 6 e 7 anos de idade, por ocasião da entrada na escola, caso não tenham registro de esquema vacinal completo contra a tuberculose.

Contraindicações

Recomenda-se adiar a vacinação com BCG em recém-nascidos com peso inferior a 2 kg e em presença de problemas na pele.

Existe apenas uma situação bem mais alarmante (e rara) em relação à BCG, bebês com deficiência da imunidade celular podem apresentar uma grave infecção pelo bacilo da vacina e precisam ser tratados imediatamente.

Como é a reação da BCG?

É causada por uma inflamação no local, não apresentar dor, apenas uma ardência na aplicação. Após algumas semanas da aplicação, podendo aparecer até os 6 meses de vida, uma vermelhidão local e a formação nódulo local, uma “bolinha”, podendo conter secreção ou não.

Em alguns casos a reação fica mais intensa, com uma ferida purulenta bem maior, podendo até apresentar gânglios (“íngua”) na região das axilas. Nesses casos, muito pouco frequentes, é necessário procurar o médico e tomar antibiótico.

Cuidados com a vacina.

Os cuidados são locais, deve-se limpar bem com água e sabão durante o banho. Importante não apertar ou não estourar o nódulo.

Enfermeira Orientadora do Programa Alô Mãe Mariana S. Galhasso

Fonte: Manual de Normas de Vacinação http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/manu_normas_vac.pdf