A síndrome de Kawasaki (DK), é uma vasculite sistêmica e aguda de causa desconhecida.  Em uma linguagem de fácil entendimento, é uma inflamação nas paredes de alguns vasos sanguíneos do corpo.

A sua ocorrência é maior nas crianças do sexo masculino (a incidência é duas vezes maior) e principalmente com menos de cinco anos, sendo rara após os oito anos de idade.

A doença pode causar vasculite (inflamação do vaso sanguíneo) em vários órgãos, como pulmão, intestino, vesícula biliar, sistema nervoso central, entre outros, porém o comprometimento cardíaco é mais comum.

Os sintomas da síndrome de Kawasaki incluem:

  • Febre maior que 39 graus e como duração de pelo menos 5 dias;
  • Olhos vermelhos;
  • Erupção na pele ( o mesmo que mudança na cor ou textura da pele/ vermelhidão);
  • Lábios vermelhos, secos e rachados e língua vermelha e inchada (conhecida como língua em franboesa);
  • Pele inchada e vermelha na palma das mãos e na sola dos pés;
  • Gânglios linfáticos inchados no pescoço e em outros lugares;
  • Irritabilidade.

O diagnóstico pode ser difícil no começo, mas muito importante. Não existem testes laboratoriais específicos para detecção. Portanto o diagnostico é basicamente clínico e feito por um profissional capacitado.

A síndrome de Kawasaki leva a sérios problemas cardíacos nas das crianças que têm a doença. Se não tratada pode levar a risco de um ataque cardíaco e causar:

  • Miocardite ou inflamação do músculo cardíaco;
  • Arritmia ou um ritmo cardíaco anormal
  • Aneurisma ou enfraquecimento e abaulamento da parede da artéria

E o tratamento?

O tratamento tem como objetivo reduzir a inflamação e prevenir as complicações. Geralmente é medicamentoso e realizado em ambiente hospitalar.

IMPORTENTE! Lembre-se de que o diagnóstico precoce e a adesão ao tratamento são fundamentais para evitar as complicações da doença.

Alô Mãe Paulistana