Ele é um sinal frequente, mas não obrigatório. Algumas grávidas nunca sentiram esse mal-estar.

Em outras, ele aparece por volta da sétima semana de gestação.

A ansiedade, o estresse, o cansaço físico, o excesso de comida ou, ao contrário, períodos de jejum prolongado tendem a agravar as crises de enjoo.  O médico poderá prescrever medicamentos para controlá-las.

O ideal, porém, é a mulher perceber em que horários do dia ela costuma se sentir mais enjoada e procurar se poupar nesses momentos.

Controlar a alimentação também é importante. Para algumas grávidas que costumam sentir muito enjoo, alimentos gelados, como picolés de frutas ácidas, trazem algum alívio.

Eles podem ser uma espécie de recurso de emergência. O fundamental é não forçar o apetite e comer apenas o que sentir vontade para não piorar o quadro.

O que realmente faz diferença para a grávida nessa fase é a hidratação, e não a comida. É disso que ela não deve se descuidar.

Evite comer quando se sentir enjoada para evitar as crises de vômito. Mais do que desagradáveis, elas fazem seu organismo perder muito líquido e minerais importantes para o desenvolvimento do feto.

Uma ótima sugestão é fracionar as refeições.

Comer pequenas porções de alimentos em intervalos regulares ajuda bastante.

Para mais orientações, ligue!! 0800 200 02 02.

 

Programa Alô Mãe