A tosse é um problema bastante freqüente em bebês e crianças. Contudo, a tosse não é uma doença, mas é um sintoma de uma possível doença que pode ou não necessitar de tratamento.

A tosse pode ser classificada em:

  • Aguda até três semanas de duração;
  • Subaguda de três a oito semanas;
  • Crônica se superior a oito semanas.

Fique atenta! É normal que as crianças tussam de vez em quando, mas quando a tosse é persistente requer atenção e cuidados específicos.

O que é tosse?

Para os especialistas a tosse é a expulsão súbita e audível de ar dos pulmões através de uma glote parcialmente fechada precedida por inalação.

É uma resposta protetora que serve para limpar a traqueia, brônquios e/ou pulmões de irritantes e secreções ou para prevenir a aspiração de materiais estranhos para dentro dos pulmões.  

O que diferencia se a tosse é de origem gripal, infecciosa ou alérgica, é a quantidade de secreção, coloração, bem como o tempo que a criança está tossindo. Para diferencia-la, procure por avaliação médica.

A tosse pode está associada a alguns problemas de saúde, tais como:

Bebê com tosse: o que fazer?

Antes de qualquer cuidados, é importante procurar por  profissionais que acompanham o bebê ou procurar por atendimento de emergência, visando descobrir o que leva a criança apresentar a tosse e seus cuidados.

Em casos de gripes e resfriados, causas mais comuns, se não houver outros sintomas associados, pode-se amenizar a tosse com inalação com soro fisiológico e lavagem nasal com soro.

Em casos alérgicos, a prevenção deve ser focada nos fatores que contribuem para a sua persistência/surgimento, ou seja, evitar poeira, animais de estimação, expor o bebê à fumaça, como por exemplo, de cigarro, ambientes mal arejados e com baixa umidade.

O tratamento medicamentoso pode ser realizado com uso de xaropes ou outros medicamentos especificado pelo médico.

Conheça também:  Entenda mais sobre a coqueluche e previna-se!

Alô Mãe Paulistana