Entre os fatores que aumentam a percepção dolorosa no parto estão, o medo, stress, tensão e fadiga, frio, fome, solidão, desamparo social e afetivo, ignorância pelo que está acontecendo e ambiente estranho.

Dentre os que reduzem essa percepção dolorosa podem ser citados o relaxamento, a confiança, informações corretas, contato contínuo com familiares e amigas, o fato de se sentir ativa, descansada num ambiente confortável, como também permanecer o momento presente e o de viver as contrações uma a uma.

Portanto, os métodos não farmacológicos podem reduzir essa percepção dolorosa no alívio da dor de parto, sendo considerados também como não invasivos.

  • Pela lei toda parturiente temo direito a um acompanhante, portanto este pode ajudar realizando MASSAGEM CORPORAL na região lombar, é um método de estimulação sensorial caracterizado pelo toque e pela manipulação da pele. No trabalho de parto, a massagem tem o potencial de promover alívio da dor, além de proporcionar contato físico potencializando o efeito de relaxamento, diminuindo o estresse emocional e melhorando o fluxo sanguíneo e a oxigenação dos tecidos.
  • BANHO MORNO é um método muito eficaz para alivio da dor, pois a água aquecida induz a vasodilatação periférica e redistribuição do fluxo sanguíneo, promovendo relaxamento muscular. O mecanismo de alívio da dor por este método é a redução da liberação de catecolaminas e elevação das endorfinas, reduzindo a ansiedade e promovendo a satisfação da parturiente. Apesar da existência de poucos estudos utilizando o banho de chuveiro durante o trabalho de parto, este recurso parece exercer influência positiva sobre a dor. Nos últimos anos, a imersão em água durante o trabalho de parto e o parto despertou interesse em muitos países, em resposta às solicitações femininas dessa forma de conforto. A prática varia muito e inclui o uso de duchas, banheiras, hidromassagem e “piscinas de parto” especiais.
  • BOLA a parturiente consegue ficar sentada com a coluna bem alinhada, sem desconforto. Ao contrário da cadeira (que é muito rígida), a bola amolda o corpo da gestante. Ela pode ficar simplesmente parada ou realizando movimentos verticais para cima e para baixo. Isto, além de ajudar na descida do bebê, também alivia a dor. A parturiente pode ainda, fazer movimentos rotativos (de bambolê). A movimentação do quadril facilita a rotação do bebê, auxiliando-o a se deslocar para a posição correta. Outra opção é ficar encaixando e desencaixando o quadril (projetando a pélvis para frente e para trás). Em todos esses exercícios sobre a bola, é recomendável que a parturiente segure as mãos do profissional de saúde ou do acompanhante para ficar com mais firmeza.
  • “CAVALINHO” e o “BANQUINHO U” são equipamentos do pré-parto, o “cavalinho” é semelhante a uma cadeira com assento invertido, onde a gestante apoia o tórax e os braços jogando o peso para frente e aliviando as costas. Durante as contrações, a parturiente também pode ficar nessa posição para receber massagem na lombar, com a finalidade de relaxar e aliviar a dor do trabalho de parto. O “banquinho U” é bem baixinho e é usado sob o chuveiro morno para ajudar no relaxamento, no aumento da dilatação e na diminuição da dor.

Enfermeira Orientadora Paloma Martina Rodrigues Barboza. Especialização em Ginecologia, Obstetrícia e Cuidados em Pré-Natal.

Fonte:

Ministério da Saúde. Biblioteca virtual em saúde do Ministério da Saúde. Parto aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Brasília (Brasil): Ministério da Saúde; 2003