A maternidade é percebida por algumas mulheres como o início de um novo ciclo, um marco diferencial que consagra de forma concreta a abrangência do papel feminino, embora a maioria das pacientes a associe com intensa dor e sofrimento.

O Ministério da Saúde vem estimulando a implantação de políticas que promovam o parto normal humanizado, como a Estratégia Rede Cegonha e Política Nacional de Humanização do Parto e do Nascimento (PNHPN) para que o parto normal seja uma escolha segura para a mulher.

O uso dos métodos não farmacológicos é importante para o alívio da dor, além de acarretar menos intervenções e retornar a essência da fisiologia que o parto representa para a mãe e o bebê. Estes métodos além de estarem profundamente comprometidos com as políticas de humanização do decurso do nascimento, proporcionam às mulheres a diminuição do medo, autoconfiança e satisfação.

Apesar de fisiológico, o trabalho de parto é caracterizado por alterações mecânicas e hormonais que promovem contrações uterinas, resultando na dilatação do colo uterino e descida da apresentação fetal.

A assistência obstétrica humanizada visa à promoção do respeito aos direitos da mulher e da criança. Utilizando os recursos não farmacológicos para alívio da dor no trabalho de parto, como o suporte contínuo, mobilidade materna, deambulação, exercícios respiratórios, massoterapia, bola suíça, banho de imersão e de chuveiro, técnicas de relaxamento, dentre outros, promovem benefícios para a parturiente. A utilização desses recursos no trabalho de parto busca resgatar o caráter fisiológico da parturição.

Recursos não farmacológicos mais utilizados:

  • Banho de chuveiro – a água aquecida induz a vasodilatação periférica e redistribuição do fluxo sanguíneo, promovendo relaxamento muscular, influenciando positiva sobre a dor.
  • Banho de Imersão – ainda é um recurso pouco utilizado nas instituições hospitalares, devido à ausência de banheiras disponíveis para este fim, porém existem evidências científicas positivas sobre seus efeitos no alívio da dor e na evolução do trabalho de parto.
  • Massagem – a massagem tem o potencial de promover alívio de dor, além de proporcionar contato físico com a parturiente, potencializando o efeito de relaxamento, diminuindo o estresse emocional e melhorando o fluxo sanguíneo e a oxigenação dos tecidos.
  • Exercícios Respiratórios – têm a função de reduzir a sensação dolorosa, melhorar os níveis de saturação sanguínea materna de oxigênio, proporcionar relaxamento e diminuir a ansiedade.

 

Outros recursos para condução do trabalho de parto podem auxiliar no alívio da dor, tais como:

  • Deambular (caminhar) – utilizado para reduzir a duração do trabalho de parto, efeito favorável da gravidade e da mobilidade pélvica que atuam na coordenação da musculatura uterina e aumentam a velocidade da dilatação cervical e descida do bebê.
  • Técnicas de relaxamento – têm como objetivo permitir que as parturientes reconheçam as partes do seu corpo, evidenciando as diferenças entre relaxamento e contração, melhorando o tônus muscular e, desta forma, favorecendo a evolução do trabalho de parto.
  • Mobilidade Materna – a mudança de postura materna durante o trabalho de parto tem se mostrado eficiente para aumentar a velocidade da dilatação cervical, promovendo alívio da dor e ajudando na descida fetal. (Sentada no leito, cadeira, banqueta, decúbito lateral, ajoelhada, agachada, quatro apoios, em pé com inclinação de tronco, dentre outras).
  • Bola suíça ou de nascimento – a parturiente consegue ficar sentada com a coluna bem alinhada, sem desconforto, facilitando a descida e também diminuindo a dor.
  • Cavalinho – o “cavalinho” e o “banquinho U” são equipamentos do pré-parto, bancos cuja utilização visa o relaxamento, aumento da dilatação e a diminuição da dor.

Além desses métodos não farmacológicos para o alívio da dor, temos a aromaterapia, cromoterapia, acompanhante no momento do parto, entre outras.

a importância de um acompanhante, de escolha da parturiente, antes e durante o parto, é muito importante para apoiá-la e, assim, contribuir para uma experiência positiva do parto e no alívio da dor.

Converse mais com seu médico do Pré-natal, se informe sobre todos os métodos, tire suas dúvidas, um bom preparo para o parto faz toda a diferença.

 

Referências:

http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/viewFile/1398/442 http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2011/v39n1/a2404.pdf http://www.me.ufrj.br/images/pdfs/protocolos/enfermagem/metodos_nao_farmacologicos_de_alivio_da_dor.pdf