A intolerância à lactose, também chamada de hipolactasia é vista como a incapacidade que o corpo tem de digerir a lactose (açúcar do leite e seus).

O responsável pela alteração é o organismo que não produz, ou produz de forma diminuída, uma enzima digestiva chamada de lactase, a mesma responsável pela transformação no organismo para melhor absorção.

A intolerância à lactose pode acontecer por alguns motivos, tais como:

-Deficiência congênita da enzima:fator genético, ou seja, a criança já nasce com dificuldade para produzir a lactase;
– Doenças intestinais: a doença diminui a produção da lactase;
– Deficiência primária: diminuição da lactase com o passar dos anos de forma natural da vida. Essa é a mais comum e sua incidência é maior na raça negra.

Fique atenta, mamãe: É muito importante saber diferenciar intolerância à lactose e alergia ao leite. Normalmente a alergia é uma reação imunológica adversa às proteínas do leite, que também se manifesta após a criança consumir o leite ou seus derivados.

Na dúvida, procure por avaliação médica para diferenciá-las e tratá-las da forma correta.

Os sintomas podem surgir  de acordo a quantidade ingerida pela criança. Os principais sintomas são:

  • Náuseas;
  • Dores abdominais;
  • Diarreias: Cuidado, pois esse sintoma pode levar a desidratação.
  • Flatulências ( o mesmo que gases intestinais );
  • Distensão abdominal (a mesma coisa que abdômen distendido);

Tratamento:

Os sintomas podem ser controlados por meio de dieta, porém não há tratamento específico para aumentar a capacidade de produzir lactase.

Outro tipo de tratamento para intolerantes à lactose e a orientação que  continuem com o consumo de leite e cálcio e posteriormente realize testes para provocação, pois isso permite que qualquer lactase que esteja presente no intestino faça o seu trabalho de digerir a lactose.O indicado é começar com uma quantidade menor e aos poucos  aumentar a porção.

É importante frisar que uma dieta que tenha necessidade de exclusão total do leite de vaca e seus derivados deve ser acompanhada por um médico e um nutricionista,pois cabe aos mesmo o papel de oferecer uma alimentação equilibrada.

Leia também: Diferença entre APLV e Intolerância a lactose

 

Alô Mãe Paulistana