O aumento da quantidade de micção é muito comum no decorrer da gestação. Começa no primeiro trimestre, quando o útero em crescimento comprime a bexiga, regride no segundo trimestre quando o útero se eleva da pelve, e reaparece no terceiro trimestre quando o feto desde a pelve, causando aumento da frequência urinária e em alguns casos a incontinência urinária (perda involuntária de urina). 

 

Essas alterações naturais da gestação por vezes podem mascarar a existência da infecção urinária, entre outras alterações como a cistite (infecção na bexiga) e pielonefrite (Inflamação do rim devido a uma infecção bacteriana). 

 

Você sabia?  

 

De 2% a 10% das gestantes apresentam bactéria na urina e não apresenta sintomase cerca de 25 a 35% desenvolvem infecção nos rins. 

 

Quais são os sinais e sintomas? 

 

  • Aumento da freqüência urinária e jato curto “gotejamento”. 
  • Febre 
  • Dor lombar 
  • Contrações  
  • Dor ou ardência ao urinar 
  • Mudança na coloração da urina ou odor forte (ex: cor acastanhada, avermelhada). 

 

Quais são os riscos? 

Os principais riscos são parto prematuro devido aumento das contrações e Sepse (infecção generalizada) necessitando de internação imediata para tratamento devido risco de morte materna-fetal. 

 

Como prevenir? 

Vale lembrar que nem sempre ocorre manifestação de sintomas, muitas gestantes são assintomáticas. Por esse motivo é tão importante a coleta de exame de urina em cada trimestre da gestação, pois é uma maneira de diagnosticar e tratar sem que haja riscos gestacionais. 

 

Dicas: 

  • Beber bastante água durante todo o dia. 
  • Evite segurar a urina quando tiver vontade ou após a relação sexual. 
  • Ao ir ao banheiro, sempre limpar-se usando o papel higiênico no sentido de frente para trás, para evitar que as bactérias do ânus se espalhem. 
  • Fazer a higiene íntima todos os dias e após as relações sexuais com sabonete neutro e sem perfume.  

 

Referências:  

Manual Técnico do Pré-natal e Puerpério - Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo – 2010. 

Livro: CABRAL, A.C.; REIS, Z.N; PEREIRA, A.K.; LEITE, H.V.; REZENDE, C.A.L. Guia de Bolso de Obstetrícia, 2010. EDITORA ATHENEU.