Doença pouco conhecida pela população. O citomegalovírus (CMV) já foi um dos grandes responsáveis pela maior parte do quadro de microcefalia e surdez no mundo. Essa infecção pode causar problemas cerebrais na criança, por isso merece toda atenção.

O CMV pode ser transmitido ao feto ao longo de toda a gestação. Não há influência da idade gestacional no risco de transmissão intra-uterina, entretanto as consequências clínicas parecem se agravar quando a infecção ocorre antes da 20a semana de gestação.

O Citomegalovírus  pertence à família dos vírus da herpes. Ele se propaga pelos fluidos corporais como saliva, urina, lágrimas e até mesmo pelo leite materno.

A transmissão para o bebê pode acontecer em qualquer fase da gestação, as sequelas são mais graves se acontecer a transmissão no primeiros trimestre.

A infecção transplacentária pode resultar:

  • Restrição de crescimento intra-uterino;
  • Perda auditiva neurossensorial;
  • Calcificações intracranianas;
  • Microcefalia;
  • Hidrocefalia;
  • Icterícia;
  • Retardo no desenvolvimento psicomotor e/ou atrofia óptica.

De acordo o Ministério da saúde, a maioria das infecções por CMV não apresenta sintomas, podendo ser confundida com uma gripe leve.

A infecção por CMV congênita sintomática deve ser diferenciada de outras infecções congênitas, como toxoplasmose, rubéola e sífilis.

Infelizmente, até o momento não há vacina para prevenir a infecção pelo CMV.