A hérnia, também conhecida popularmente como “umbigo saltado” é uma saliência de um órgão ou tecido que está fora do local normal. Nos bebês e crianças os mais comuns são: Inguinal (virilha) e umbilical. Geralmente não é prejudicial à criança, apenas requer cuidados e acompanhamento médico.

Inguinal: quando se localizam na região da virilha, acima da dobra da coxa. Falaremos sobre inguinal em outra postagem.

Umbilical: quando se localizam no umbigo.

As hérnias umbilicais são mais comuns em crianças – bebês prematuros e especialmente aqueles com baixo peso ao nascer.

O que é hérnia umbilical no bebê?

No recém-nascido trata-se da não cicatrização umbilical (fechamento) adequada. Ou seja, o anel umbilical é formado por músculos e outros tecidos no local em que o cordão umbilical se liga ao corpo da criança, a hérnia é causada pela falha no fechamento.  Na fase adulta, geralmente surge por esforço abdominal repetitivo, provocando um caroço (abaulamento) no local.

Geralmente as hérnias desaparecem com o tempo, antes mesmo da criança completar cinco anos de idade. O motivo pelo desaparecimento é que os músculos vão ficando mais durinhos e consegue conter a hérnia.

Quando requer necessidade de cirurgia?

A maioria das hérnias umbilicais em bebês, desaparecem até os dois anos de idade, no entanto, quando a hérnia permanece e gera problemas, o médico pode optar pelo procedimento cirúrgico. Na dúvida, converse com o médico responsável pelo acompanhamento da criança.

Crenças com moedas e faixas

A utilização de moedas e faixas era um método muito utilizado antigamente. Mas, estudos recentes apontam que o uso de faixas e moedas não contribuem para o desaparecimento. Portanto, não é indicado. 

 

Alô Mãe Paulistana