A hanseníase é uma doença infecciosa causada por uma bactéria chamada Mycobacterium leprae, é a uma das doenças mais antiga já registrada. A doença é curável, mas se não tratada pode ser preocupante e deixar sequelas. A doença tem cura.

Tocar a pele da pessoa infectada não transmite a hanseníase. Os sintomas mudam conforme o nível da doença, o seu principal sintoma é o aparecimento de manchas pálidas na pele, os demais sintomas são:

  • Sensação de formigamento
  • Fisgadas ou dormência nas extremidades
  • Manchas brancas ou avermelhadas na pele
  • Perda da sensibilidade ao calor, frio, dor e tato
  • Áreas da pele aparentemente normais que têm alteração da sensibilidade e da secreção de suor
  • Nódulos e placas em qualquer local do corpo.

Se não for tratada, os sinais da hanseníase avançada podem incluir:

  • Diminuição da força muscular (dificuldade para segurar objetos)
  • Paralisia das mãos e pés
  • Encurtamento dos dedos devido à lesão dos nervos que controlam os músculos
  • Úlceras crônicas na sola dos pés
  • Cegueira
  • Perda de sobrancelhas
  • Edema do nariz e orelhas (inchaço).

Locais do corpo com maior predisposição para o surgimento das manchas: mãos, pés, face, costas, nádegas e pernas. Atenção!! Em alguns casos, a hanseníase pode ocorrer sem manchas.

Qual o diagnóstico?

O diagnóstico quando feito de forma rápida é o elemento mais importante da cura da doença. Para detectar a doença é feito o teste de sensibilidade no local, e quando necessário é solicitado uma biopsia da área e exames laboratoriais.

E o tratamento? 

O tratamento é gratuito e fornecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O  tratamento é em longo prazo, com medicamentos específicos prescritos pelo médico.  Alguns não podem ser tomados por grávidas, por isso avise o médico em caso de gravidez.

A gravidez e o aleitamento materno não contraindicam o tratamento poliquimioterápico da hanseníase que são seguros tanto para a mãe como para a criança. Alguns dos medicamentos podem ser eliminados pelo leite, mas não causam efeitos adversos importantes.

Os lactentes, porém, podem apresentar a pele hiperpigmentada pela medicação (Clofazimina), ocorrendo à regressão gradual da pigmentação, após a parada do tratamento.

É fundamental seguir o tratamento, pois é eficaz e permite a cura da doença, caso não seja interrompido. A primeira dose do medicamento já garante que a hanseníase não será transmitida.

Como prevenir a doença?

A melhor indicação de prevenção é manter o sistema imunológico em um nível bom. Procurar manter hábitos saudáveis e boa higiene, pois se tiver contato com a doença o seu corpo irá combater.

Fonte:

Sociedade Brasileira de Dermatologia. Hanseníase. Disponível em: Hanseníase. http://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doenças-e-problemas/hanseniase/9/. Acesso em: 21/02/2019.

Ministério da Saúde. Manual Técnico Operacional. Diretrizes para vigilância, atenção e eliminação da hanseníase como problema de saúde pública. Brasília – DF 2016. Acesso em 21/02/2019.