O pré-natal é o momento que compreende desde a concepção até o parto. Mas também corresponde ao período de acompanhamento de toda a gravidez por profissionais competentes. Quando a gestante é considerada de baixo risco o acompanhamento é realizado, alternadamente, a cada mês, pelo médico e enfermeiro. Se for de alto risco, a mulher será acompanhada, além dos profissionais citados anteriormente, pelo médico especializado. É neste momento que a futura mãe será avaliada e examinada com o intuito de diagnosticar precocemente qualquer alteração que possa interferir no curso normal da gravidez.

Para o Ministério da Saúde são considerados como riscos para a gravidez:

  • Idade maior que 35 anos;

  • Idade menor que 15 anos ou primeira menstruação há menos de dois anos;

  • Altura menor que 1,45m;

  • Peso menor que 45 kg e maior que 75 kg (IMC<19 e IMC>30) antes da gestação;

  • Alterações da anatomia ou função dos órgãos reprodutivos;

  • Situação conjugal insegura;

  • Conflitos familiares;

  • Baixa escolaridade;

  • Condições ambientais desfavoráveis;

  • Dependência de drogas lícitas ou ilícitas;

  • Hábitos de vida – fumo e álcool;

  • Exposição a riscos no trabalho: esforço físico, carga horária, mudanças frequentes de horário, exposição a agentes físicos, químicos e biológicos nocivos, estresse.

  • Baseados nos riscos apresentados acima, cada Estado brasileiro pode definir os principais riscos que entenderão, de acordo com a população que atende.

 

É imprescindível a realização do pré-natal, pois além de ficar mais segura com seu acompanhamento, a grávida pode também tirar suas dúvidas e receber orientações pertinentes. Você deve aproveitar esse momento para ser esclarecida quanto às suas dúvidas tanto com relação às alterações do seu corpo quanto ao desenvolvimento do bebê. Para você entender sua importância apresentaremos os principais pontos referentes ao acompanhamento de pré-natal:

  • Deve ser iniciado o mais rápido possível, preferencialmente, assim que se descobre a gravidez ou nos três primeiros meses da gestação;

  • Imprescindível a realização de, no mínimo, seis consultas de pré-natal e mais uma no período de até 40 dias após o parto;

  • Toda mulher tem direito a consultas e exames durante sua gravidez;

  • Nas consultas devem ser abordados os seguintes assuntos: vacinas que deverão estar em dia, alimentação saudável, alterações do corpo da gestante, dentre outros;

  • Durantes as consultas de pré-natal devem ser avaliados, pelo menos: peso, altura (somente na primeira consulta), estado nutricional, pressão arterial (PA), altura uterina (AU – tamanho da barriga) e batimentos cardíacos do bebê (BCF);

  • Existe uma lista de exames que devem ser solicitados durante a gravidez, pelo menos, a cada trimestre (a cada três meses). E os mesmos deverão ser repetidos caso haja qualquer dúvidas por parte do profissional;

  • Tudo isso permite a avaliação constante da futura mãe com a intenção de prevenir, identificar e tratar problemas de saúde que possam acontecer no período da gestação;

  • Lembrando que as informações mais importantes que permitem o melhor acompanhamento da gravidez devem ser anotadas no Cartão da Gestante.

 

Fonte: Brasil. Ministério da Saúde. Assistência Pré-natal – Manual Técnico. 3ed. Brasília (DF), 2000.