Em cada fase, seu bebê pode apresentar um tipo diferente de fezes. Quando ele nasce, principalmente nas primeiras 24 a 36 horas de vida, ele irá eliminar um material de coloração verde escuro, na qual chamamos de mecônio.

O mecônio é composto por sais biliares, células epiteliais de descamação, sucos digestivos e lanudo, e pode persistir nos primeiros 4 dias após o nascimento.

Após esse período, as fezes, adquirem uma coloração amarelo-esverdeada, na qual denominamos de fezes de transição. Elas são mais liquidas e podem ser confundidas com diarreia.

E assim, conforme o tempo vai passando, suas fezes terão aspectos mais consistentes e modificando sua coloração.

Chamamos de reflexo gastrocólico exacerbado, o relaxamento do ânus que ocorre com a distensão do estômago, e devido a isso aumenta o número de evacuações diárias, principalmente o bebê que mama somente no seio, podendo evacuar em cada mamada. Por isso que a quantidade de fraldas utilizadas é grande!

Como dito ao longo do texto, as fezes do bebê podem ser confundidas com diarreia. Para que se faça adequado diagnóstico de diarreia nos dois primeiros meses de vida, é importante lembrar que os bebês que mamam somente no peito e que se encontram bem podem apresentar de 6 a 8 evacuações líquidas ao dia.

Essas fezes características são consideradas normais para a criança que recebe só leite materno. Geralmente, a mãe percebe quando há mudanças nos aspecto das fezes do bebê, principalmente observa-se a presença nítida de água.

É importante tomar os devidos cuidados em caso de diarreia, pois pode levar a desidratação séria em seu bebê. Manter sempre hidratado com o leite materno.

Também pode ocorrer a presença de sangue nas fezes do bebê, podendo significar fissuras anais ou alergia ao leite de vaca, por isso é bom sempre falar com o médico nesses casos.

É possível que seu bebê apresente prisão de ventre, com fezes mais endurecidas, causando dificuldade para evacuar. Isso ocorre geralmente quando a criança não está mamando leite suficiente, ou por outros motivos.

Por isso é importante oferecer leite materno de livre demanda, no mínimo 30 minutos na mesma mama, e que a mãe tenha uma alimentação saudável , porque por mais que ainda não seja totalmente comprovada, a alimentação materna influencia na amamentação. Mas por via das dúvidas, opte sempre por hábitos saudáveis.

E conte com nossas orientações através do 0800 200 02 02!

Fonte:

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Atenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2011. 4 v. : il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicas)