A alimentação saudável é de extrema importância, principalmente nos primeiros 2 anos de vida. Essa é a fase que a família tem a oportunidade de construir bons hábitos, além disso, a alimentação saudável é decisiva para o crescimento e desenvolvimento da criança assim como a manutenção da sua saúde.

Para auxiliar nesse processo, o Ministério da Saúde elaborou os 12 passos para uma Alimentação Saudável.

1- Amamentar até 2 anos ou mais, oferecendo somente o leite materno até 6 meses.

A composição do leite materno é única, atende todas as necessidades nutricionais, protege contra as doenças da infância e na vida adulta, auxílio no desenvolvimento do cérebro, além de fortalecer o vínculo mãe e filho.

2- Oferecer alimentos in natura ou minimamente processados, além do leite materno, a partir de 6 meses.

Alguns exemplos de alimentos in natura (feijões, cereais, raízes e tubérculos, frutas, legumes e verduras, carnes, ovos). Quanto maior for a variedade dos alimentos, mais saudável será a alimentação. Sempre que puder, varie a oferta de alimentos ao longo do dia e ao longo da semana.

3- Oferecer água própria para consumo á criança em vez de sucos, refrigerantes e outras bebidas açucaradas.

A água é essencial para hidratação do corpo e deve ser oferecida desde a fase da introdução alimentar aos 6 meses, e não deve ser substituída por chás, sucos, água de coco e muito menos por refrigerantes entre outras bebidas. Porque tais bebidas açucaradas aumentam o risco de excesso de peso, cárie dentária e desestimula o consumo de água. A água deve ser oferecida mesmo se a criança não pedir.

4- Oferecer a comida amassada quando a criança começar a comer outros alimentos além do leite materno.

O ideal é que no início da introdução alimentar os alimentos sejam amassados apenas com garfo e os alimentos duros como carnes sejam bem picados. Nunca utilize liquidificador ou processador e nem peneire os alimentos, pois perde parte dos nutrientes, e não irá contribuir para desenvolvimento dos ossos da face e estímulo a mastigação. Aos poucos aumentar a consistência até chegar à alimentação da família.

5- Não Oferecer açúcar e nem preparações ou produtos que contenham açúcar á criança até 2 anos de idade

Alguns exemplos: mel, açúcar (refinado, mascavo, demerara, cristal, rapadura, melaço); preparações com açúcar (biscoitos, bolos, iogurtes, engrossantes farináceos, amido de milho, farinha de arroz e mingau, entre outros).

O uso de açúcar precoce dificulta aceitação dos alimentos in natura, além de predispor ao desenvolvimento de obesidade e diabetes infantil.

6- Não Oferecer Alimentos Ultra processados para criança

São alimentos pobres em nutrientes, possui alto teor de sal, gorduras saturadas, açúcar, aditivos, adoçantes, corantes e conservantes. Crianças que são acostumadas desde cedo com alimentos processados, tem maior chance de desenvolver problemas como hipertensão, doenças do coração, diabetes, obesidade, cáries e câncer.

7- Cozinhar a mesma comida para criança e para a Família.

Planejar a alimentação da semana, organizar as compras para ter os alimentos em casa e cozinhar em maior quantidade para congelar uma parte (para consumir em outros dias) é estratégia que facilitam o cozinhar e garante comida de verdade todos os dias e em todas as refeições. Essa é também uma maneira de modificar hábitos alimentares de toda a família que será benéfico para criança que estará em fase de aprendizado.

8- Zelar para que hora da alimentação da criança seja um momento de experiências positivas, aprendizado e afeto junto a família

É importante manter um ambiente tranquilo e acolhedor no momento das refeições. Comer juntos alimentos saudáveis faz com que a criança se interesse mais pelos alimentos e queira experimentar, se ela percebe que a família gosta ficará estimulada. Propicie momentos de compartilhamento da refeição em família que envolva a criança.

9- Prestar atenção aos sinais de fome e saciedade da criança e conversar com ela durante a refeição

É importante estimular a comer, mas sem forçar, mesmo se a criança estiver doente. Durante a refeição converse com a criança e estimule a conhecer os alimentos, evite distrações como televisão, celular, computador ou tablet. O prazer da alimentação está nos sabores, aromas, e na forma como é oferecida.

10- Cuidar da Higiene em todas as etapas da alimentação da criança e da família

Quando falamos de higiene, falamos da higiene de quem prepara os alimentos, deve sempre lavar bem as mãos depois de usar o banheiro ou troca de fralda, e de realizar as tarefas da casa. Higienizar as mãos da criança antes das refeições. Higienizar os alimentos que serão consumidos crus (frutas, verduras) com cloro, após o molho lavar com água filtrada ou fervida.

11- Oferecer a criança alimentação adequada e saudável também fora de casa

Esse é um dos maiores desafios para os pais, devido a facilidade de oferta de alimentos processados, fast food entre outros. Mas é importante manter os hábitos conquistados dentro de casa. Quando for para passeios, festas ou até mesmo consultas, procure levar os alimentos in natura já higienizados em recipientes térmicos.

12- Proteger a criança da publicidade de alimentos

A família precisa ter atenção especial ao que a criança possa ver ou ouvir com relação as publicidades. As crianças menores de 2 anos não possuem capacidade de julgamento e decisão e por isso podem confundir ficção com realidade. Cuidados com os programas de TV, internet, jogos eletrônicos entre outros.

 

 

Fonte

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GUIA ALIMENTAR PARA CRIANÇAS BRASILEIRAS MENORES DE 2 ANOS. Brasília, 2019.