Com a proporção que viagens aéreas com crianças se tornaram mais populares, orientações quanto a cuidados tem sido solicitadas pelos pais com uma maior frequência.

Viagem do tipo pode ser um desafio e tanto, e requer cuidados e atenção especial, cuidados estes que vão desde escolher o destino, providenciar a documentação, vacina quando necessário e total atenção com a saúde.

Nos primeiros meses, o bebê necessita apenas ter suas necessidades básicas satisfeitas, como por exemplo: alimentação, troca de fraldas e local confortável para dormir.

Super dica: Para evitar o desconforto do bebê nos períodos de mudança de pressão na cabine – durante a decolagem e aterrissagem – estratégias de oferecer o seio ou mamadeira (se o bebê já usa) podem ajudar.

Viagens aéreas não são seguras para crianças que tenham doenças como anemia grave, doença cardíaca ou pulmonar, pois a menor quantidade de oxigênio no interior da aeronave leva à redução da oxigenação sanguínea, aumentando a necessidade de administração de oxigênio. Portanto, antes de viajar, o ideal é consultar o pediatra para avaliação das condições de saúde da criança e recomendações específicas.

O pediatra orienta dá outras dicas importantes, veja:
• Leve a certidão de nascimento, passaporte ou identidade de todos, os telefones do pediatra e da central de atendimento do plano de saúde (se houver).
• Fique atento!Gestantes e passageiros com crianças pequenas tem prioridade de embarque.
• Objetos familiares ao bebê devem ser levados de casa.
• Para viagens longas, prefiram voos noturnos sem escalas ou conexões.
• Os comissários podem esquentar a mamadeira (se o bebê já usa) e alimentos infantis devem ser previamente requisitados – não é permitido o transporte de leite em pó ou qualquer outro tipo de comida para bebê nas aeronaves.
• Leve as carteiras de vacinas de todos, verifique se o calendário de vacinas está completo e se há necessidade de vacinas adicionais.
• Viagens para o exterior: em 2011 foi publicada uma nova resolução pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que facilita a autorização para menores. Ela pode ser encontrada no manual da Policia Federal, clique aqui: www.pf.gov.br/servicos-pf/3_edicao_manual_menores.pdf/view.
• Para quem mora no exterior: é necessário providenciar no consulado um Atestado de Comprovação de Residência no Exterior, que precisa ter sido emitido há menos de dois anos. Esse documento será apresentado na hora do embarque da criança.

Fonte:

SBP. Sociedade Brasileira de Pediatria. Conversando com o pediatra. Departamento Científico de Neonatologia da SBP. Cuidados ao viajar de avião com o recém-nascido.

Pediatra Orienta. Disponível em: http://www.pediatraorienta.org.br/viajar-de-aviao-com-bebes/. Acesso em: 12/12/2018.