O cordão umbilical é o que liga o feto à placenta durante a gravidez. É constituído por duas artérias e uma veia, além de um material gelatinoso, conhecido como geleia de Wharton. O cordão umbilical é responsável por garantir a nutrição do feto e a troca gasosa.

Tanto a veia umbilical quanto as artérias umbilicais transportam nutrientes (sangue e oxigênio) para exercer o papel dos pulmões, já que os mesmos ainda não estão funcionando. A geleia de Wharton ajuda a manter os vasos abertos e o fluxo de sangue constante.

Qual o tamanho do cordão umbilical?

O cordão umbilical mede no final da gravidez cerca de 50 cm de comprimento e 2 cm de diâmetro, mas esses valores podem variar entre os indivíduos.  

Agora que já sabemos a estrutura do cordão, saberemos a seguir, as alterações que podem ser causadas por problemas relacionados com o cordão umbilical.

Ø  Trombose dos vasos umbilicais: formação de um coágulo de sangue, em alguma parte do cordão umbilical;

Ø  Ruptura dos vasos umbilicais: quando um dos vasos se rompe; 

Ø  Alterações estruturais:pode ocorrer quando o cordão umbilical é muito longo ou muito curto;

Ø  Vasa prévia: devido a um mau posicionamento do cordão umbilical em relação à placenta;

O bebê se torna independente para as suas funções, a partir do corte do cordão umbilical.

Fique atento: Após o nascimento da criança, o cordão é clampeado e seccionado, passando a ser chamado de coto umbilical. Leia aqui: Cuidados com o Coto Umbilical (Umbigo do bebê).

Alô Mãe Paulistana