O Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para prevenção da transmissão vertical ( PCDT- TV) de HIV, Sífilis e Hepatites virais, recomenda a realização de testes sorológicos para detecção ou comprovação das IST ( infecções sexualmente transmissíveis), para efetivação dos seus respectivos cuidados, tratamentos com medicações antirretrovirais, antibióticos, vacinas, quimioprofilaxias e seguimentos com as repetições dos exames mensais junto a parceria sexual.

As IST são causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos. A sua transmissão entre o binômio (mãe e filho) pode ocorrer no período gravídico, no momento do parto e nos casos de HIV durante o aleitamento materno. Já o risco de transmissão da Sífilis no aleitamento, só ocorre através de fissuras mamilares.

Conforme o PCDT-TV, segue a lista de critérios para prevenção da TV (transmissão vertical):

– Uso de preservativo em todas as relações sexuais;

– Oferta de redução de danos para pessoas que usam drogas injetáveis;

–  Contraindicação à amamentação em mães vivendo com HTLV 1/2, sendo

recomendado o uso de inibidores de lactação e de fórmulas lácteas infantis (casos de HIV);

– Avaliação do nível de conhecimento da gestante sobre a doença e explicação da infecção pelo HIV, Sífilis e Hepatites virais e suas evoluções, assim como sobre o baixo risco de transmissão vertical dada a elevada eficácia das medidas preventivas;

– Enfatização do impacto positivo do início do uso das medicações para a qualidade de vida dela e para a prevenção da transmissão vertical, destacando a importância da adesão nesse processo;

– Identificar alguma condição que exija intervenção imediata, como sinais e sintomas sugestivos de IO (infecções oportunistas), bem como a necessidade de iniciar profilaxia para IO;

– Avaliação da parceria sexual e filhos(as);

– Abordagem dos aspectos relacionados à saúde sexual e à prevenção combinada;

E atenção:

– A Sífilis tem cura, e o tratamento efetivado não a imuniza, contribuindo para uma reinfecção se manter relação sexual sem o preservativo;

– O comparecimento em todas as consultas de pré natal e exames agendados é essencial;

– Quando não tratadas, os riscos dos abortos, malformações fetais, natimortos ou óbitos dos recém-nascidos aumentam;

– Existência da possibilidade de tratamento do recém-nascido como forma profilática (preventiva);

– Fidelização do acompanhamento da criança após o nascimento;

– O tratamento e o acompanhamento com exames sorológicos são todos gratuitos pela rede pública.

Fonte: Ministério da Saúde. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Prevenção da Transmissão Vertical. 2020. Disponível em: https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/biblioteca/protocolo-clinico-e-diretrizes-terapeuticas-para-prevencao-da-transmissao-vertical-do-hiv-sifilis-e-hepatites-virais/. Acesso em: 19 maio 2021.

Imagem: Envato Elements