É fundamental para a saúde do bebê alimentá-lo exclusivamente no seio até os seis meses, e garantir que ele possa prosseguir mamando até pelo menos os dois anos, complementando com alimentação adequada.

Após a sua volta ao trabalho, é possível amamentar. Utilize sua licença maternidade, e verifique em sua empresa métodos que contribuam para a amamentação.

Quando for retirar o leite do seio, e seu filho não estiver por perto para poder mamar, retire o leite manualmente ou por bombinha apropriada e armazene sob condições adequadas, na qual descreveremos no decorrer do texto.

Mas, se não houver como armazenar adequadamente, retire o leite e o despreze.

Dicas:

-Quando sair de licença, que seja o mais próximo possível da data prevista para o parto.

-Você pode acumular férias para somar aos quatro meses de licença-maternidade previstos em lei. A licença poderá ser ampliada em duas semanas, mediante a apresentação de atestado médico, com o objetivo de garantir a amamentação exclusiva, mas para isso, converse com seu médico e com o representante da empresa

-Para estocar leite materno, comece a colhê-lo 15 dias antes de retornar ao trabalho. Para garantir quantidade o suficiente, e para você mesma adaptar-se à técnica correta de ordenha e estoque.

-Mantenha o leite refrigerado. Se no congelador, ele conserva por até 15 dias, se no refrigerador, somente por 12 horas.

-Se for esquentar, que seja em banho-maria. Pra quem não sabe, ferva uma panela com água. Quando estiver fervendo, desligue o fogo, e coloque na panela com água a embalagem onde está o leite armazenado.

-Jamais esquentar novamente caso o bebê não consiga mamar todo o conteúdo, desprezar as sobras.

-Aproveitar os momentos que estiver em casa para amamentar com frequência, inclusive à noite.

-Não utilizar mamadeiras para oferecer o leite ordenhado. Prefira utilizar o copinho ou a colher.

 

Fonte:

Sociedade Brasileira de Pediatria. Conversando com o pediatra.