A cólica gestacional pode ser considera normal porque o útero está em total processo de adaptação.  O desenvolvimento do bebê dentro da barriga pressiona ligamentos, músculos, veias e outros tecidos internos do corpo da gestante, causando um enorme desconforto.

IMPORTANTE! Se a cólica estiver associada com outros sintomas, como febre, hemorragias, calafrios, vômitos e dor ao urinar, pode ser sinal de um problema mais sério e deve procurar orientação médica imediatamente. É importante que diferencie cólica de contração situação em que a barriga fica dura.

Veja a seguir alguns pontos importantes:

Distensão nos ligamentos:

São cólicas leves de um lado ou dos dois lados da barriga. É causada pela distensão dos ligamentos para sustentar o útero, que está a crescer. Acontece durante toda a gestação.

Orgasmo:

É muito comum existirem cólicas durante e depois do orgasmo, às vezes associadas a dor nas costas. As veias da região pélvica podem estar sobrecarregadas, ou a mulher estar muito tensa já que muitas pessoas ficam nervosas quando praticam sexo na gestação.

Falso trabalho de parto:

São cólicas e uma dor persistente nas costas, causadas pela pressão na região pélvica e no reto. Pode acontecer com mais frequência nas últimas semanas de gestação. A cólica do falso trabalho de parto é substancialmente mais leve que as contrações do trabalho de parto real. Para algumas mulheres, deitar-se um pouco é positivo; para outras, uma caminhada mais vigorosa abranda o incômodo. Colocar uma bolsa de água quente ou um banho morno (de banheira ou com o jato do chuveiro direcionado para as costas) podem ajudar.

Gases:

Dor em qualquer área da barriga, nas costas e até aos ombros. Determinados alimentos podem causar acumulação de gases no sistema digestivo durante a gestação.

Gravidez ectópica:

São cólicas acompanhadas de dor aguda e sensibilidade, normalmente começando num dos lados e espalhando-se pela barriga. Pode haver também um hemorragia escura e aguada e dor forte no ombro. Muitas vezes ocorre, devido ao óvulo fertilizado implantar-se fora do útero – nas trompas, no ovário, na cavidade abdominal ou no colo do útero. Geralmente ocorre entre a 4ª e a 10ª semana de gestação.

Aborto espontâneo no início da gravidez:

São cólicas acompanhadas de hemorragia e dor no baixo ventre, durante os primeiros três meses da gravidez. No primeiro trimestre, a maioria dos abortos espontâneos acontece porque o feto não se desenvolve conforme o esperado. É raro que se deva a algo que a mãe tenha feito ou tenha deixado de fazer. Acontece com mais frequência, até à 12ª semana de gestação. Se a cólica for acompanhada de hemorragia, dirija-se ao hospital mais próximo.

Aborto espontâneo tardio:

São cólicas acompanhadas de forte sangramento. Normalmente é provocado por problemas na placenta, uma doença da mãe ou alguma lesão. Geralmente, ocorre entre a 12ª e a 23ª semana de gestação.

Trabalho de parto prematuro:

Sintomas como ruptura da bolsa; mudança no tipo de secreção vaginal (mais aguada, com sangue ou parecida com muco) ou aumento na quantidade de secreção; pressão no baixo ventre; dor constante nas costas; cólicas abdominais e/ou diarreia; contrações regulares ou endurecimento do útero. Existem muitos fatores que podem provocar o trabalho de parto prematuro, entre eles doenças ou o stress, mas muitas vezes a causa é desconhecida.
Pode acontecer a qualquer momento entre a 23ª e a 37ª semana.

Trabalho de parto normal:

Ter cólicas a partir da 37ª semana pode significar que está nos estágios iniciais do trabalho de parto. Nessa fase, as cólicas não são motivo de preocupação e fazem parte da preparação do seu corpo para o nascimento do bebê. Pode também sentir dor constante na lombar, causada pela crescente pressão em cima da bacia.

Outras causas para as cólicas:

Muitas outras condições podem provocar cólicas, quer esteja gestante ou não. As causas para esse tipo de incómodo abdominal podem ser viroses, intoxicação alimentar, apendicite, pedras nos rins, infecções urinárias e cálculos biliares (mais comuns na gestação). Miomas podem também crescer durante a gestação e causar desconforto.