É natural e normal que o filho mais velho apresente demonstrações de ciúmes, ressentimento, insegurança, raiva e infelicidade como resposta ao nascimento do novo bebê. Quem tem mais de um filho com menos de cinco anos, provavelmente conhece bem esses problemas de ciúmes entre irmãos.

Esses comportamentos estão diretamente relacionados ao medo de deixarem de ser amados.

Como costumam expressar o sentimento

  • Tentar machucar o bebê fisicamente, ou desejar que o bebê vá embora.
  • Demonstrar o carinho do mundo para o novo irmãozinho, mas ficam agressivas e hostis com a mãe e outros cuidadores.
  • Apresentar regressão no comportamento, passando a chupar o dedo, chupar chupeta, mamadeira e a molhar a cama.
  • Podem ter um comportamento ótimo em casa, mas cheio de problemas na escola.

Cada criança apresenta uma dificuldade diferente em relação ao irmão.

  • A criança pode aceitar o novo irmãozinho sem demonstrar ciúme, mas quando o bebê já estiver com nove meses e começar pegar seus brinquedos, um ressentimento pode começar aflorar.
  • Podem surgir problemas no momento em que a criança mais nova começa a se socializar, faz seus próprios amigos e não depende mais tanto de seu irmão mais velho.
  • A criança pode parecer mais popular ou bem sucedida na escola do que o irmão mais velho.

Preparando seu filho

Normal que a criança não compreenda de imediato o que significará ter novo bebê na família, muito menos o fato de ter que compartilhar o afeto. Isso torna algumas crianças apreensivas e mal humoradas.

Tudo isso é totalmente normal, faz parte da adaptação à nova situação, mas requer muita paciência e compreensão da parte de toda família. Também é normal que uma criança fique empolgada e feliz com a chegada do novo irmãozinho.

Importante é a criança se sentir amada e apoiada por outros membros da família no momento em que seus pais, principalmente sua mãe, estiverem menos acessíveis.

Explicações como: Com quem a criança vai ficar durante esse tempo? O que acontecerá se você tiver que ficar mais tempo no hospital? O que é melhor para seu filho nesse período? Isso é muito importante.

Deixe claro para todo do seu círculo familiar os planos feitos por vocês. Evite separações muito prolongadas, locais novos e pessoas estranhas tomando conta de seu filho nesse momento de tantas mudanças.

Algumas dicas simples

  • Tente evitar muitas mudanças ao mesmo tempo.
  • Não deixe de estimular e mostrar seu apreço por qualquer ajuda ou gesto de amor do seu filho (a) para com o novo bebê, e ignore comportamentos negativos e infantis quando for possível.
  • Passe tarefas pequenas e leves ao seu filho (a), para motivar o relacionamento com o bebê. Não force se a resposta for negativa, mas mostre todo o seu apreço por cada ajuda que receber.
  • Procure passar algum tempo só com o seu filho (a) mais velho, sem a presença do bebê.
  • Seja firme com relação a comportamentos negativos, mas sem fazer seu filho (a) sentir-se culpado. Mostre que o errado é o comportamento, e não a criança.
  • Tome o cuidado de não cair no hábito de pensar em comportamento “bom” ou “mau” e em crianças “boas” ou “más” na família. Certos mitos são difíceis de serem abandonados.
  • Cuidado com sinais de retraimento ou depressão. Compartilhe sua preocupação com o pessoal da escola. Uma criança com dificuldade em demonstrar sentimentos intensos com relação ao seu irmãozinho pode escondê-los profundamente e precisar de ajuda para poder falar a respeito com alguém que não seja da família.

Para muitas crianças não importa todo o cuidado dos pais em prepará-las para esse acontecimento, um novo irmãozinho fica sendo para sempre um choque. Elas esperavam um novo coleguinha e quem chega mesmo é um bebê real, vivo, que chora que precisa de muitos cuidados e que é muito exigente.

Caso nenhuma dessas dicas ajude, busque acompanhamento médico especializado.

Enfermeira Orientadora Alô Mãe Paulistana Mariana S. Galhasso.

Fonte: Compreendendo a infância, Ciúmes entre irmãos. http://www.ip.usp.br/portal/images/stories/lefam/ATT00032.pdf