Esse é um assunto bastante polemico onde as causas do compartilhamento são variadas, por exemplo:

  • A relação de compartilhar acama no inicio acontece devido à amamentação, choros noturnos.
  • Em crianças mais velhas acontece devido à dificuldade de estabelecer regras, limites e por culpa dos pais de ficar pouco com a criança durante o dia
  • Em casos de separação acontecem como desculpa para não ter relações sexuais.

Pessoas que defendem cama compartilhada dizem que:

  • Melhor ligação mãe-bebê
  • Controle maior da temperatura
  • Diminui o choro do bebê
  • Diminui a ansiedade.

Pessoas que defendem camas separadas (Geralmente relacionados a estudos)

  • Alertam para o risco de morte súbita nos bebês
  • Risco muito alto de asfixia da criança (nesse período a mãe tem multitarefa e fica exausta, pegando no sono profundo e muitas vezes se vira em cima da criança).
  • Aumento da maturação e da produção de cortisol
  • Melhora a atividade cerebral.

A Academia Americana de Pediatria recomenda como estratégia de prevenção da morte súbita do lactente, que o bebê durma no quarto dos pais, mas em cama separada até o sexto mês de vida. Isso evita: asfixia estrangulamento e aprisionamento, que podem ocorrer quando a criança está dormindo na cama com um adulto.

Essa recomendação deve ser reforçada ainda mais para pais que fumam, consomem álcool ou drogas ilícitas, para bebês prematuros e quando os pais estão muito cansados.

Ainda fazem parte das recomendações da AAP:

  • Não expor a gestante e o bebê ao cigarro;
  • Evitar o consumo de álcool durante a gestação;
  • Estimular o aleitamento materno;
  • Colocar o bebê para dormir no decúbito dorsal (barriguinha para cima) num colchão firme;
  • Não cobrir a cabeça do bebê;
  • Deixar os bracinhos de fora do cobertor e os pezinhos encostados na borda do berço, para que o mesmo não escorregue e sufoque;
  • Não deixar nada que possa dificultar a circulação de ar no berço, como protetores de grades, almofadas e outros.

Depois dos 6 meses de vida

O indicado é que o bebê durma no seu próprio quarto e sejam estipuladas rotinas. Como:

  • Oferecer a mamada após um banho morno
  • Colocar uma luz de baixa intensidade (8 watts) e de cor azul escuro no quarto para deixar o ambiente calmo e aumentar a liberação do hormônio do sono na criança
  • Usar essa mesma luz baixa para atender o bebê no meio da noite
  • Evite embalar ou balançar para não habituar o bebê a dormir com estes estímulos, pois, se sempre irá necessitar desse estímulo para voltarem a dormir.
  • Mantenha a rotina de dormir até que a criança mostre que já sabe e quer dormir sozinha e o beijo de boa noite será o bastante!

 

Programa Alô Mãe