Sabemos que a importância do leite materno para o bebê é indiscutível, e que o ato de amamentação propicia o contato físico entre mãe e bebê.

Vale lembrar que o aleitamento materno fornece todos os nutrientes, proteção, desenvolve estruturas ósseas, psicológicas e neurológicas, em todas as fases do seu desenvolvimento. E agora, sabemos também, através de estudos, que a amamentação há vantagens também para a saúde da mulher.

Vamos listar em alguns tópicos, o bem que ele, o leite materno faz para mãe e filho:

  • O leite materno é considerado o alimento mais completo e equilibrado para as crianças de até 06 meses de idade, e não necessita de complementação antes desse tempo, pois atende a todas as necessidades de nutrientes e sais minerais que a criança necessita;
  • É facilmente digerido, e consequentemente provoca menos cólicas nos bebês;
  • Dentre as grandes propriedades, outro fator positivo do leite materno é que colabora para a formação do sistema imunológico da criança, previne alergias, obesidade, intolerância ao glúten;
  • Ele contém uma molécula chamada “PSTI”, e é responsável para proteger e reparar o intestino delicado dos recém-nascidos, já que os mesmos possuem um sistema digestório tão imaturo;
  • Com o aleitamento, o vínculo entre mãe e filho aumenta, e isso contribui para que a criança se relacione melhor com outras pessoas no futuro, desenvolvendo também seu psicológico;
  • Previne a anemia;
  • A sucção favorece o desenvolvimento dos dentes do bebê;
  • Segundo estudos, amamentar por mais de seis meses faz bem à saúde mental do seu filho, além de ajudar a combater o estresse;
  • Dependendo da sua alimentação, quando o ômega 3 está presente no leite materno, ajuda no desenvolvimento e crescimento dos prematuros nos primeiros meses de vida, favorecendo sua recuperação;
  • A partir do momento que a criança amamenta pela primeira vez após o nascimento, o ato de amamentar contribui na saída da placenta, contribuindo para o útero voltar ao tamanho normal. Consequentemente, também evita o sangramento em excesso e, consequentemente, que a mãe sofra de anemia;
  • Protege a mãe contra o câncer de mama e de ovário;
  • Reduz o risco de a mulher desenvolver síndrome metabólica (doenças cardíacas e diabetes) após a gravidez, inclusive para aquela que teve diabetes gestacional;
  • Traz sensações de bem-estar, de realização, e também favorece o emagrecimento, pois consome até 800 calorias por dia;
  • É gratuito, natural, prático, e não desperdiça recursos naturais;
  • Está sempre pronto para ser transportado e ingerido (não precisa nem aquecer);
  • De certa forma, pode ajudar seu filho a ter melhor desempenho nos estudos e aumentar a chance de ele frequentar uma faculdade, segundo pesquisas;
  • E por último, protege a mãe contra doenças cardiovasculares, segundo estudos realizados.

Leia também: Amamentação e o retorno ao trabalho

Programa Alô Mãe