O bebê prematuro, também chamado pelos médicos de “pré-termo” é aquele que nasce antes da gestação completar 36 semanas e seis dias.

Às vezes, o bebê pode nascer muito antes do tempo. Neste caso, ele fica um longo período hospitalizado, porque os órgãos ainda não estão totalmente prontos: coração, cérebro, pulmões, ossos e pele são alguns dos órgãos que ainda precisarão crescer e se desenvolver em ambiente extrauterino.

O bebê prematuro precisa respirar sozinho (sem aparelhos), ganhar peso, crescer e conseguir mamar adequadamente, para poder receber alta.

Ao sair do hospital, a família deve levar a criança para casa com segurança. Mesmo sendo um bebê tão pequeninho, e que você tenha o máximo prazer de levá-lo no colo, é preciso adotar todas as medidas de segurança possíveis.

Use assento de segurança para automóveis. No caso de problemas neurológicos que causem redução no tônus do pescoço (pescoço pouco firme) a posição sentada pode provocar problemas de respiração ou até apneias (parada temporária da respiração).

Neste caso, o transporte seguro para a casa é deitado em uma espécie de caminha (moisés) no chão do banco de trás do veículo. No exterior, este acessório é chamado de “car bed”.

Com tantos detalhes para aprender, os pais devem permanecer o maior tempo possível no hospital, acompanhando os cuidados da equipe médica e conhecendo seu filho.

Um bom vínculo com os pais é fundamental para melhorar o desenvolvimento neurológico da criança prematura.

Ao receber alta, muitas vezes a mãe e mesmo o pai mostram sentimentos ambivalentes, de felicidade e medo. Para minimizar a insegurança inicial, é fundamental conversar com o pediatra, resolver as principais dúvidas.

Faça uma listinha em casa, antes da alta, das perguntas que você quer fazer ao pediatra. É fundamental não dar qualquer medicamento ao seu filho, sem a ciência de seu pediatra.

O metabolismo do prematuro é mais lento e não são raras as reações inesperadas a alguns medicamentos.

 

Cuidados com o bebê prematuro

O choro é a linguagem do bebê, é a sua força de expressão. Chorou, muito? Veja se não está com as fraldas sujas, com frio ou calor, ou ainda com fome.

Algumas crianças, desde muito pequenas, choram mais quando têm sono e estão cansadas. Não pense que todo choro quer dizer que o bebê está com cólicas!

Pessoas gripadas não devem pegar o bebê no colo.

A higiene das mãos em casa é tão necessária quanto no ambiente do hospital.

Beijos no bebê? Somente papai, mamãe e maninhos e, no máximo, os avós.

As vacinas devem estar atualizadas

FEBRE é a temperatura acima de 37,2 graus C. O pediatra deve ser imediatamente contatado

O seu bebê parou de respirar, engasga com frequência ou fica com a boca arroxeada, ou ainda, parece muito cansado e transpira ao mamar? Converse com seu pediatra.

A respiração do bebê prematuro é mais ruidosa e não significa obstrução nasal. Use soro fisiológico somente se as narinas estiverem obstruídas, ou se o bebê estiver com dificuldade para pegar no seio ou para mamar.

Essas situações podem e devem ser discutidas com o seu pediatra ANTES da alta, assim a família fica mais segura para cuidar do bebê tão esperado. Afinal, tão importante quanto sobreviver, é ter qualidade de sobrevida futura.

 

Fonte:

Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento Científico de Neonatologia. Recém-nascido. Cuidados com o bebê prematuro. http://www.conversandocomopediatra.com.br/website/paginas/materias_gerais/materias_gerais.php?id=82&content=detalhe