O baby blues é um quadro de emoções intensas por vezes deprimidas, costuma ser passageiro e tem características marcadas pelo estado de hiper emotividade, fragilidade, sentimentos de falta de confiança e de incapacidade para cuidar do bebê.

Geralmente é um quadro emotivo leve e transitório, que atinge cerca de 80% das mães entre o 3 e 5 dia após o parto.

Esse período é necessário para que a mãe perceba que seu bebê e ela agora são indivíduos separados, e dessa forma marca o fim da gravidez psíquica.

É muito importante perceber os sintomas para conseguir diferenciar o Baby Blues de Depressão pós-parto.

O que distingue a Depressão pós-parto da Tristeza Materna (baby blues) é a gravidade do quadro e o que ele tem de incapacitante, afetando a funcionalidade da mãe e colocando em perigo seu bem-estar e o do bebê.

Sinais de alerta para Depressão Pós-parto:

· Início após 4 semanas do nascimento podendo se estender até 6 meses.

· Presença de sintomas: desânimo persistente, irritabilidade, choro freqüente, ansiedade, sentimento de culpa, distúrbios do sono, idéias suicidas, temor de machucar o filho, auto-acusação, redução do apetite e da libido, perda do prazer nas atividades cotidianas e ocorrência de idéias obsessivas.

Na presença desses sintomas deve procurar ajuda com profissional de saúde, para que seja iniciado acompanhamento e tratamento.

Alguns estudos comprovam que a Depressão pós-parto pode interferir no processo de desenvolvimento mental da criança na fase escolar, daí a importância de a mãe iniciar tratamento psicológico precocemente.

Referências

ARAUJO, Vera Iaconelli R Ferreira de. DEPRESSÃO PÓS-PARTO, PSICOSE PÓS-PARTO E TRISTEZA MATERNA. Revista Pediatria Moderna, Julho-Agosto, v. 41, nº 4, 2005.

SANTOS, Luísa Parreira; SERRALHA, Conceição Aparecida. REPERCUSSÕES DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL. Barbarói, Santa Cruz do Sul, n.43, jun. 2015.