O autismo, cientificamente conhecido como Transtorno do Espectro Autista, é conhecido por problemas na comunicação, na socialização e no comportamento, geralmente, diagnosticada entre os 2 e 3 anos de idade.

Os sintomas mais comuns incluem dificuldade de comunicação, dificuldade com interações sociais, interesses obsessivos e comportamentos repetitivos.

Assim, são sintomas e características do autismo:

  • Não responder a chamados ou ter uma resposta mais lenta.
  • Não demonstrar alegria ou animação quando os pais se aproximam
  • Realizar movimentos repetitivos (como balançar as mãos, girar em torno do próprio corpo)
  • Ausência ou pouco sorriso social
  • Ter ausência ou diminuição de contato visual
  • Não compartilhar interesses
  • Realizar sons repetitivos (gritos inadequados, barulhos ou sons contínuos)
  • Dificuldade em imitar
  • Isolamento ou falta de interesse
  • Dificuldade de comunicação
  • Apresentam nervosos quando ocorrem mudanças ou imprevistos
  • Dificuldade em partilhar objetos
  • Diminuição da dor
  • Dificuldade de reconhecer a tonalidade da voz

Diagnostico

O diagnóstico de autismo é feito pelo pediatra ou psiquiatra, através da observação da criança e da realização de alguns testes de diagnóstico, entre os 2 e 3 anos de idade.

Tratamento

É realizado acompanhamento multiprofissional, utilizando medicação, terapias comportamentais e educacionais.

 Atitudes suas podem ajudar

  • Continue amando e brincando com seu filho.
  • Ainda que pareça que não está prestando atenção, ele é capaz de perceber todo o carinho, atenção e os cuidados.
  • Fazer com que a criança se sinta segura, amada e acolhida. É fundamental para a construção da sua autoestima.

 Estimulando o desenvolvimento

A equipe multiprofissional irá auxiliar diversos estímulos que ajudam no desenvolvimento, porém os estímulos básicos são:

  • Estimular a linguagem (sempre fazer com que a criança fale o que quer antes de você entregar. O ideal é sempre se abaixar para falar e explicar algo para a criança, isso faz com que entenda melhor)
  • Estimular a sensibilidade (sempre deixar pegar as coisas e explicar o que é. Brincadeiras com massinhas, areias pode ajudar muito)
  • Ensinar e estimular o relacionamento (conduzir a criança até outras crianças, muitas vezes até ficar e brincar junto)

Procurar grupos de pais de autistas para trocar informações, tirar dúvidas, dividir angústias ajuda muito.

Fonte: Cartilha: Transtorno do Espectro do Autismo http://www.alepe.pe.gov.br/wp-content/uploads/2015/04/cartilha2704-final10.pdf