Educar uma criança é um processo amplo, difícil e fundamental. O comportamento da criança até a adolescência vem da família, até os 3 anos a criança age como um espelho ( são sensíveis ao ambiente e sabe de tudo o que acontece) em várias questões como:

• Sono
• Alimentação
• Higiene
• Comportamento.

Se tiver muitos conflitos em casa, pode ocasionar problemas sérios na saúde mental da criança.

Quais são as alterações comuns?

• Depressão

O ocasiona mudança de humor, crianças pode apresentar a forma contraria costume como aparece na forma de irritabilidade, agressividade e hiperatividade.

• Ansiedade

Geralmente acontece em momentos de separação e pode apresentar prejuízos na escola e sofrimentos.

• Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade

A criança fica mais desatenta, impulsiva e hiperativa, causando baixo desempenho escolar e dificuldade de relacionamento.

• Alteração do comportamento

Se apresentando desobediente, agressivo e passa a mentir. Isso ocasiona no afastamento das pessoas.

• Fobia

Toda a criança apresenta algum tipo de medo, porem quando tem o problema, esse medo passa a ser mais intenso e a criança já não consegue realizar suas tarefas do dia-a-dia.

• Transtorno de excreção

Acontece quando as eliminações fisiológicas (fezes e urina) não são controladas de forma rotineira por crianças fora da idade. Causando baixa autoestima, isolamento social e conflitos.

A escola pode influenciar?

A escola pode influenciar se o tratamento com a criança não for adequado. Porem a escola é uma continuação da educação, algumas pessoas tem o pensamento que a escola é o local de educação e definições de limites. A escola na verdade é o local para aprendizado, como: adquirir conhecimentos, socialização e competências. Já a educação, como: valores, limites, comportamento e o desenvolvimento da identidade, vêm de casa diz os especialistas.

O que fazer em casos de problemas emocionais?

É comum as crianças e adolescentes apresentarem alterações psicológicas, os pais devem ter um olhar atento e manter um acompanhamento adequado com o pediatra e se necessário será encaminhado para psicólogo.

Programa Alô Mãe