Embora seja difícil engravidar no período imediatamente após o parto, enquanto a mulher amamenta, devido aos hormônios que  circulam no organismo, uma gestação pode sim acontecer, e, por isso, é importante que a mulher procure seu médico para que seja decidido o melhor método contraceptivo.

Pílula anticoncepcional:

A mãe que amamenta não pode fazer uso das pílulas tradicionais que combinam progestagênio e estrogênio, pois este último hormônio passa pelo leite, chegando ao bebê que não pode estar exposto à ação estrogênica. Portanto, os indicados para as mães que amamentam são somente as mini pílulas.

A mini pílula pode começar a ser tomada a partir 6 semanas após o nascimento do bebê. Além disso, recomenda-se manter relações sexuais somente 15 dias após ter começado a tomar o anticoncepcional para lactantes (mães que amamentam).

DIU (Dispositivo Intra Uterino): existem dois tipos: o hormonal, que libera progesterona, e o de cobre, que atua como uma barreira para os espermatozoides.

Não menos importante, outros métodos bastante indicado e que o SUS oferece são:

Contraceptivos injetáveis e o preservativo ( camisinha). 

Fonte:

Federação Brasileira das Associações de Ginecologista e Obstetrícia. Anticoncepção no pós-parto. Disponível em: https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/200-anticoncepcao-no-pos-parto. Acesso em 12/01/2019.