Ao observar o desenvolvimento do bebê percebemos que, naturalmente aos 10 meses boa parte das crianças começam a ficar de pé com apoio dos pais ou se apoiando aos móveis, e assim ganhando confiança para começar a dar os primeiros passos.

A partir de então percebemos que com ganho de confiança, desenvolvimento de musculatura, até 15 meses aproximadamente a criança caminhara com bom equilíbrio e sem se apoiar.

É importante respeitar o tempo de cada bebê, o período de começar verdadeiramente caminhar varia de criança para criança. E isso pode ter relação com estímulo que a criança está recebendo no ambiente.

Posso colocar no andador para estimular bebê andar?

A recomendação é que não se utilize o andador para estimular a bebê a caminhar, devido os riscos que pode oferecer ao seu desenvolvimento.

Todo o processo de conquista da marcha independente necessita de desenvolvimento, estabilidade e acomodação do sistema neuromuscular infantil completo para que a criança consiga estabelecer contato com o meio.

Riscos do uso do Andador

  • Crianças que são colocadas no andador, possui duas vezes mais chances de apresentar atraso no desenvolvimento da marcha.
  • Posicionamento inadequado dos pés.
  • Inclinação do tronco que gera instabilidade postural, dificultando o equilíbrio.
  • Maior chance de ocorrência de acidentes domésticos, o que demanda maior atenção dos pais.
  • Maior chance de risco de quedas, traumatismo crânio encefálico, queimaduras, afogamentos e até a morte.

Como estimular?

É no ambiente doméstico que a criança irá entrar em contato com os objetos e pessoas do seu convívio para explorar os móveis da sala, mexer nas panelas da cozinha, bater nos móveis com escovas, pentes e chaveiros. Também através de brinquedos interativos, piscinas de bolinhas entre outros.

 

Referências

LUCENA, IG et.al. RISCOS DO USO DE ANDADOR INFANTIL PARA O DESENVOLVIMENTO DAS CRIANÇAS. Journal of Medicine and Health Promotion. 2018; 3(1):977-987. < Disponível em http://jmhp.fiponline.edu.br/pdf/cliente=13-d4280b5879c7123ee47a2e5316e131fb.pdf> Acesso em 21/11/2020.