Até seis meses a alimentação do bebê deve ser exclusiva com leite materno.

A partir dessa idade as necessidades nutricionais da criança já não são mais atendidas só com o leite, mas ele ainda continua sendo uma fonte importante de calorias e nutrientes.

A mãe deve introduzir de forma lenta e gradual outros alimentos, mantendo o leite materno até os dois anos de idade ou mais.

Oferecer alimentos naturais e sem adição de açúcar; preferir frutas que não precisam ser adoçadas (laranja, maçã, pera, mamão, banana, melancia, goiaba, manga) ou legumes do tipo cenoura ou tomate.

No sexto mês iniciar a oferta de uma papinha de frutas e o aleitamento em livre demanda;

Entre o sétimo e oitavo mês oferecer duas papinhas de frutas e uma salgada, preparada com legumes, hortaliças, carne e feijão.

A partir do oitavo mês: Leite materno + duas papinhas salgadas e uma de fruta.

Aos doze meses além do leite materno acrescentar três refeições, mais dois lanches ao dia, com frutas e cereais.

Com a introdução dos alimentos complementares é importante que a criança receba água nos intervalos entre as refeições.

As papinhas devem ser preparadas em casa, o alimento deve ser bem cozido e amassado com o garfo, até ficar na consistência de um purê e não é necessário passar na peneira.

A utilização do liquidificador é contra indicada, pois ele deixa os alimentos com uma consistência mais liquida e não vai estimular a mastigação da criança.

 

Fonte:

Sociedade brasileira de endocrinologia e metabologia.  http://www.endocrino.org.br/guia-para-alimentacao-de-criancas-ate-dois-anos/*