No último trimestre próximo a chegada do seu bebê, é nessa fase que ocorre o aumento da ansiedade, medos e incertezas sobre o trabalho de parto.

 

Estudos apontam que o estado emocional da gestante nessa fase está intimamente relacionado com o desempenho no trabalho de parto.

 

A percepção de que a gestação é uma “doença”, pode gerar um trabalho de parto difícil e prolongado.

 

É importante que a gestante tenha em mente que a gestação é uma condição de bom estado de saúde, e que o trabalho de parto embora seja doloroso, é um processo normal para que a mãe tenha condições (forças) para juntamente com seu bebê ajudá-lo na chegada.

Se a gestante estiver calma e relaxada irá se sentir segura e confortável, e isso favorece a produção de ocitocina (hormônio da contração) o que leva a contrações eficazes. Por outro lado, a ocitocina aumentará a produção de endorfinas, sendo este um hormônio natural que ameniza a dor.

Vamos as Dicas:

 

  • Procure manter-se calma e relaxada. Várias são as técnicas de relaxamento é importante que escolha uma que melhor lhe agrada (música, bola de parto, caminhada com liberdade de movimentos, luz baixa).
  • Encontre a posição que melhor lhe traz conforto (posição de cócoras, em quatro apoios, em pé caminhando, sentada na bola ou no banquinho).
  • O banho morno ou uso da banheira é uma ótima maneira de aliviar a dor e proporcionar o relaxamento da musculatura e a dilatação.
  • Procure fazer uma refeição leve, beber água, chás, sucos de fruta.
  • Escolha um acompanhante, alguém que possa te dar o apoio e segurança necessário, e também compartilhar esse momento único que é o trabalho de parto.
  • Respirar profundamente, no ritmo da contração, facilita a abertura e a saída do bebê.

Referências:

NASCER TRANQUILO. REVISTA DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS ENFERMEIROS OBSTETRAS — N.º 11/2010.

Livro: Branden, Pennie Sessler. Enfermagem Materno-Infantil, 2 edição. Rio de Janeiro, Editora Reichman & Affonso, 2000.